POR IVAN AMBRÓSIO

Há menos de dois meses, a vida de Claudemir Peixoto mudou por inteiro. Técnico de futebol há 14 dos seus 45 anos de idade, ele deixou de treinar um time da segunda divisão do paraná para comandar o penapolense.

Não poderia imaginar que, passado um mês do início dessa etapa, cheia de expectativas, viveria a maior dor de sua vida.

Seus dois filhos, ainda adolescentes, morreram em um trágico acidente de carro. Em entrevista à Folha da Região, este pai conta como está sendo superar este momento.

Treinador busca forças no futebol para superar morte dos filhos em acidente

Técnico do Penapolense conta como está sendo nova fase da vida

Superação na bola: Nos gramados, um Penapolense com cara nova

Em dois meses, técnico vem observando experiência e entrosamento

Jogadores do CAP fazem homenagem a treinador que perdeu filhos

Apesar de derrota, time de Penápolis permanece no G4


Reportagens especiais da Folha




Colunas e coberturas especiais