Uso de veículo resultou na exoneração de secretário

Sindicância para apurar caso de uso de caminhão-pipa é arquivada por Salmeirão

Comissão alegou ausência de provas de ilegalidades

O prefeito de Birigui, Cristiano Salmeirão (PTB), arquivou sindicância para apurar possíveis irregularidades no uso de caminhão-pipa do município para abastecer um clube particular no bairro Portal da Pérola 1, de propriedade do pai do vereador Fabiano Amadeu (PPS), durante ponto facultativo (8 de setembro, após feriado da Independência do Brasil). A decisão foi publicada na quinta-feira (11) no diário oficial do município. 

Segundo o secretário de Administração, Genilson Antônio Martins, o chefe do Executivo determinou a abertura da sindicância assim que ficou sabendo da denúncia. O titular da pasta contou que a comissão formada ouviu todas as testemunhas e, diante da ausência de provas de ilegalidades, deu parecer para que o procedimento fosse arquivado, sem determinar nenhuma punição. 

Porém, a sindicância fez uma recomendação, encaminhada a todos os secretários municipais, de que as solicitações de serviços devem ser feitas por meio de requerimento protocolado e que, no caso de cobrança pelos trabalhos realizados, os valores sejam recolhidos antes da prestação do serviço. Na hipótese de isso não ser possível, que seja feita uma justificativa. 

CEI
Em setembro do ano passado, um vídeo mostrando o abastecimento do clube do pai do parlamentar viralizou nas redes sociais e provocou revolta nos moradores do Portal da Pérola 1, que sofriam com falta de água. Após determinar a abertura da sindicância, Salmeirão exonerou o então secretário de Serviços Públicos, Água e Esgoto Eldir Paulo Scarpim. 

As imagens mostravam o caminhão-pipa estacionado na frente do clube e uma pessoa em cima do telhado com uma mangueira, fazendo o abastecimento. Em seguida, o parlamentar foi ao seu Facebook para explicar que o seu pai era separado de sua mãe e não morava com ele, sendo que o ex-secretário não sabia do parentesco entre os dois. Além disso, ele escreveu que seu pai iria pagar pela água utilizada. 

Embora a sindicância não tenha apurado nenhuma irregularidade, ainda existe uma CEI (Comissão Especial de Inquérito) na Câmara de Birigui para investigar o caso. O próprio Amadeu assinou o pedido, para que a instalação da comissão fosse viabilizada. Porém, ela tem, em sua maioria, parlamentares da base governista. Entre os cinco integrantes, apenas o vereador Benedito Dafé (PV) é da oposição. Os demais são: Cláudio Barbosa de Souza (PSB), Carla Bianchi (PSD), Leandro Moreira (PRB) e Felipe Barone (PPS). 

TRANQUILO
Amadeu disse que o arquivamento da sindicância já era esperado por ele, pois não ocorreu nada naquele episódio que pudesse incriminar alguém. Além disso, ele falou que não teve envolvimento algum no que aconteceu. 

“Meu pai é quem deve responder, mas acho que ele não cometeu nada de ilícito. Por isso, não tinha pelo que me preocupar. Desde o início falei que poderiam investigar”, afirmou o pepessista. 

LINK CURTO: http://folha.fr/1.383783

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook