Santana afirmou que conseguiu atrair empresa de confecção

Santana aposta no turismo para desenvolver Aracanguá

Um dos desafios apontados é a criação de empregos

Assim como outros prefeitos da região, o chefe do Executivo de Santo Antônio do Aracanguá, Rodrigo Santana (DEM), pretende alavancar seu município desenvolvendo o turismo. Segundo o democrata, a cidade possui um grande potencial nesse setor, mas nunca fez investimentos nele. Um de seus desejos é a criação de uma prainha e transformação de Aracanguá em Município de Interesse Turístico. 
 
Um dos desafios apontados por Santana é a criação de empregos em uma época de crise em todo o País. Ele disse que conseguiu atrair uma empresa de confecção para o município, como forma de amenizar essa situação. Para solucionar a questão da habitação, o democrata afirmou que estão para vir para a cidade 65 casas em parceria com o governo estadual. 
 
O democrata contou que conseguiu fazer algumas economias, promovendo cortes, que ajudaram em vários investimentos e realizar quatro dias de carnaval em Aracanguá, enquanto outros municípios da região abrem mão da festa para poder aplicar dinheiro em outras áreas. Confira trechos da entrevista que Santana concedeu à Folha da Região:
 
Como estão sendo esses primeiros meses de governo?
Nós pegamos a Prefeitura com um débito no valor de R$ 650 mil, que deveria ter sido pago até dezembro (do ano passado). Isso atrapalhou um pouco o andar da administração, mas a gente conseguiu economizar na folha de pagamento e cortar alguns gastos. Estamos conseguindo colocar a casa em ordem. Desse débito, já pagamos cerca de R$ 480 mil. Conseguimos fazer um investimento com recursos próprios, que foi o recape na vicinal que liga Vicentinópolis até a olaria no limite de Nova Luzitânia. Compramos cinco veículos com recursos próprios no valor de R$ 330 mil e diversos materiais, como enxadas, roçadeiras e equipamentos que precisávamos para dar início aos trabalhos. As estradas rurais estavam abandonadas e a gente conseguiu colocá-las em ordem. A limpeza da cidade também estava um pouco abandonada. Fizemos o carnaval com quatro noites de banda, coisa que nunca ocorreu antes. Nossa folha de pagamento está abaixo do que na administração anterior. Economizamos no dia a dia para realizar essas ações. 
 
Qual é o maior desafio dos seus quatro anos de mandato?
A situação que a população mais sente é a falta de emprego. A crise no País afeta todo mundo no município. Mas a gente, graças a Deus, está conseguindo trazer esses empregos, tanto é que trouxemos uma empresa de confecção aqui para a cidade. É uma empresa que pode gerar até 50 empregos. Não vai solucionar o problema, mas já ajuda. Outra questão é a moradia. Estamos atrás de um conjunto habitacional do CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo) para o município, que vai trazer 65 casas. A gente está regularizando toda essa situação junto à Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo). Nós temos uma saúde de qualidade, mas a gente tem que manter isso e melhorar. Também estamos viabilizando o rastreamento de veículos, o que nos ajudará na economia. Ele traz controle de manutenção e mais segurança para a população. 

Existe alguma dessas áreas que o senhor pretende priorizar?
Quando se é prefeito é necessário cuidar da cidade como um todo. Porém, a saúde e educação são prioridades para qualquer governo. A gente vê que Aracanguá tem um grande potencial na área do turismo e isso até hoje nunca foi explorado. O que a gente quer fazer de diferente é atrair o turismo para o município. Vamos recepcionar amanhã (ontem) o nosso secretário estadual de Turismo, Laércio Benko. A gente está pleiteando a transformação da cidade em Município de Interesse Turístico. Nós já contratamos uma empresa especializada. Estamos fazendo todo o projeto. Já fizemos um pedido ao secretário, mas ele tem que ser aprovado lá na Assembleia de São Paulo. Pretendemos levá-lo para sobrevoar o município de helicóptero para ele ver todo o potencial turístico que nós temos. O turismo gera empregos, o município arrecada mais e a gente consegue ter um investimento melhor. 
 
Como está sendo seu relacionamento com a Câmara neste começo de mandato?
Está sendo ótimo. A gente tem tido o apoio em massa da Câmara.
 
Como o seu governo pretende tratar a questão da ética?
Uma das nossas propostas é transparência. A gente trabalha com muita seriedade, sempre expondo as situações para a população. Temos na Prefeitura o Portal da Transparência, o qual a população tem acesso. E qualquer um consegue enxergar que Aracanguá está sendo gerida hoje com muita rigidez na questão de economia e transparência. É algo essencial, até mesmo pela minha criação. É preciso deixar tudo claro. Hoje, infelizmente, toda a classe política é comparada com os corruptos que estão lá em cima. Isso é ruim porque a política só vai mudar se pessoas do bem entrarem nela e darem o seu melhor. Enquanto estivermos nas mãos das pessoas que praticam atos ilícitos, a situação não vai mudar no nosso País. E isso começa onde? Começa nas cidades. É por aqui que a gente vai conseguir fazer a diferença. Mostrar para os grandes políticos que é possível um governo com seriedade e transparência. 
 
De que forma o senhor pretende ver seu município quando encerrar o seu mandato?
Quero ver Aracanguá prosperando. Uma cidade bonita, acolhedora e limpa. Queremos entregá-la sem nenhuma dívida, totalmente em condições de se trabalhar. Ninguém pegá-la sucateada como nós pegamos. Criarmos a nossa prainha. Existem várias coisas para fazer, mas, acima de tudo, entregar Aracanguá como ela merece, sem cortar nenhum benefício que hoje a nossa população tem.

VEJA AQUI TODAS AS REPORTAGENS DA SÉRIE
'SUA CIDADE EM DISCUSSÃO'



LINK CURTO: http://tinyurl.com/ychlvl3m

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook