Saída temporária beneficia 2.435 presos do semiaberto na região

O maior número é do CPP de Valparaíso, de onde sairão 1.600

A saída temporária de final de ano deve beneficiar 2.435 sentenciados que cumprem pena no regime semiaberto em unidades prisionais ligadas à VEC (Vara de Execuções Criminais) de Araçatuba. As saídas serão divididas em três grupos, com o primeiro deixando a prisão nesta quinta-feira (21).

O maior número de reeducandos que serão beneficiados está no CPP (Cento de Progressão Penitenciária) de Valparaíso, único presídio totalmente destinado a esse tipo de pena na região. Somente desta unidade devem ser liberados cerca de 1.600 homens.

O primeiro grupo deixará as unidades na quinta-feira, para retornar no dia 27. Eles cumprem pena na penitenciária compacta de Avanhandava e nas três penitenciárias de Lavínia.

O segundo grupo será beneficiado no dia 22, com retorno previsto para o dia 28, e inclui sentenciados da penitenciária 1 de Mirandópolis, na penitenciária de Andradina e nos CRs (Centros de Ressocialização) de Birigui e de Lins, que apesar de não ficar na região administrativa de Araçatuba, é ligado à VEC local, assim como a penitenciária de Getulina, que também liberará os presos beneficiados nesse dia.

VIRADA
O último grupo passará o Natal encarcerado e deixará as unidades prisionais no dia 28, para passar a virada de ano com os familiares. O retorno nesse caso, está previsto para 3 de janeiro de 2018. Fazem parte desse grupo os presos no CPP de Valparaíso, em parte da penitenciária 1 e na penitenciária 2 de Mirandópolis, na penitenciária de Valparaíso e no CR de Araçatuba.

A SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) explica que os presos do regime semiaberto têm permissão para usufruírem de até cinco saídas temporárias por ano, as quais são determinadas pelo Poder Judiciário.

Obedecendo a legislação brasileira, as alas destinadas a abrigar detentos que cumprem pena nesse regime não possuem vigilância armada e nem são cercadas por muralha. "A permanência do preso, nesse regime, se caracteriza muito mais pelo senso de autodisciplina e autorresponsabilidade, que propriamente por mecanismos de contenção contra evasão", informa em nota a secretaria.

FUGA
Na noite de sábado (16), quatro presos que cumpriam pena no regime semiaberto da penitenciária 1 "Nestor Canoa", de Mirandópolis, aproveitaram-se dessa "liberdade" e fugiram após romper e escalar os alambrados da unidade prisional.

O grupo foi recapturado no domingo, um deles ainda de madrugada, e retornou ao regime fechado, o que também acontecerá com presos que deixarão os presídios a partir de quinta, caso não retornem no prazo previsto, tornando-se foragidos.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.380424

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook