Calcadão de Araçatuba; região é prejudicada por apresentar poucas atrações turísticas

Região de Araçatuba perderá R$ 77 milhões com feriados

Projeção supera em 18% perda calculada no ano passado

Embora o grande número de feriados prolongados e pontes no calendário de 2018 signifique mais dias descanso para parte da população, as pausas nas atividades econômicas trazem risco de prejuízos para o comércio. O varejo de Araçatuba região deve deixar de faturar R$ 77 milhões este ano com essas datas comemorativas, projeta a Fecomércio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo). 

O valor supera em 18% a perda calculada pela mesma entidade para o setor no ano passado. Levantamento da federação apontava para um prejuízo de R$ 65,3 milhões para os lojistas da região em 2017. A alta se deve não a um aumento da quantidade de feriados e, sim, a uma melhora na expectativa de vendas diárias do comércio para este ano, segundo a entidade. 

A federação explica que o número de feriados nacionais não é diferente quando comparado ao de 2017, porém a projeção de vendas para a região em 2017 é positiva. Com isso, o potencial de perda para cada dia com redução de movimento motivada por feriados e pontes é maior.

CALENDÁRIO
A Fecomércio levou em conta apenas os feriados nacionais e segmentos comerciais que apresentam retração nas vendas. De acordo com cronograma de portaria divulgada em dezembro pelo Ministério do Planejamento, dos cinco pontos facultativos e nove feriados oficiais do Brasil, 11 caem na segunda, terça, quinta ou sexta-feira permitindo ponte com o final de semana. 

Fora esse calendário nacional, o Estado de São Paulo terá uma data de descanso comemorado em uma segunda-feira - o dia da Revolução Constitucionalista, em 9 de julho. O Dia de Consciência Negra, feriado em algumas cidades brasileiras, este ano será celebrado em uma terça-feira, 20 de novembro. 

Segundo o economista Claudilei Rodrigues da Rocha, a região de Araçatuba é prejudicada quando o assunto é movimentação econômica com feriados por apresentar poucas atrações turísticas na comparação com outras áreas do País. "O fluxo de pessoas que saem das cidades por aqui é maior do que o fluxo das que vêm visitá-las", afirma. Como os moradores saem da região, eles deixam de comprar nas lojas do território. Ele esclarece que municípios litorâneos vão na contramão, já que recebem mais turistas durante os feriados e essas pessoas consomem no comércio local. 

Rocha explica que o comércio da região de Araçatuba também sofre impacto negativo do grande número de feriados prolongados e pontes porque nessas datas os empresários têm um alto custo com pagamentos de benefícios e compensações para os funcionários ativos nas lojas. O economista aconselha comerciantes a realizarem liquidações em datas anteriores aos feriados longos para alavancar o faturamento. 

De acordo com ele, a indústria também é afetada, principalmente no caso de fábricas de setores que precisam manter máquinas em funcionamento sem pausa e por isso, têm de desembolsar valores maiores para arcar com adicionais para os colabores que trabalharem nos feriados. 

SEGMENTOS
Conforme a Fecomércio-SP, o segmento classificado como outras atividades (engloba postos de combustíveis, joalheiras, lojas de artigo para esportes, e livrarias) será o que mais deixará de arrecadar na região por conta dos feriados. As empresas desse ramo responder por 41% das perdas totais da região. A redução do faturamento dessas atividades devido aos feriados deve equivaler a R$ 31,6 milhões, prejuízo 30% maior do que em 2017. 

Segundo a Fecomércio, o setor é mais afetado por abranger uma fatia grande da receita total do comércio regional. As lojas de móveis e decoração também se destacam por ter a maior variação percentual do prejuízo. As perdas desse ramo, estimadas pela Fecomércio-SP em R$ 766 mil, deverão ultrapassar em 36% as estimadas para 2017.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.386070

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook