O carro foi encontrado na Fazenda Lagoinha e o cabeleireiro disse que não sabia do primo dele, acusado da autoria

Primo de suspeito é preso por participação no assassinato de universitária

Morta a facadas em Ilha Solteira

A polícia decidiu prender em flagrante um cabeleireiro de 30 anos, morador no Jardim Aeroporto, em Ilha Solteira, por participação no assassinato da universitária Maria Julia Martins Quintino da Silva, 17, na tarde de segunda-feira (9).

Ela foi morta a facadas quando seguia para a faculdade. O acusado do feminicídio é um ex-namorado da vítima, um estudante de 28 anos, morador em um assentamento na zona rural da cidade.

Ele é primo do cabeleireiro, que foi detido logo após o crime em uma fazenda. O carro utilizado na fuga estava no local e, segundo a polícia, havia marcas de sangue nos bancos do veículo, o que indica que o preso deu carona para o primo após o assassinato.

CRIME

O caso é investigado em parceria com a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher). O crime aconteceu por volta das 14h, a poucos metros da república onde a estudante morava, na viela do Passeio Batalha.

A vítima foi encontrada caída, descalça, com vários ferimentos no abdome, no pescoço, nos braços e nas costas. Havia manchas de sangue no local, o que indica que ela tentou fugir do agressor. Testemunhas apontaram o ex-namorado dela como autor do crime e disseram que ele fugiu em VW Gol.

Pela placa do veículo a polícia chegou à proprietária, que é mãe do estudante investigado. O carro foi encontrado na Fazenda Lagoinha e o cabeleireiro disse que não sabia do primo dele.

Porém, foram encontradas manchas de sangue nos bancos do motorista e do passageiro, o que, segundo a polícia, indica que o autor fugiu com o carro até encontrar o primo, que o levou até a fazenda, de onde ele fugiu. Documentos pessoais do estudante estavam no carro e foram apreendidos.

COMOÇÃO
O corpo de Maria Julia foi levado para General Salgado, onde reside a família dela. Em depoimento a uma emissora de televisão, familiares contaram que o casal teve um relacionamento, que terminou no final do ano passado. Eles revelaram ainda, que o acusado do crime não era violento, mas bastante ciumento.

O delegado Miguel Rocha, que também atua na investigação do caso, comentou que o casal teria voltado a se relacionar recentemente. O enterro da estudante estava previsto para as 14h desta terça-feira (10) no cemitério de General Salgado. Familiares do estudante serão chamados pela polícia para prestar depoimento.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.398708

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook