Orquestra tem no seu estatuto a formação de novos músicos

Preservando a música de raiz

Orquestra Penapolense de Música Raiz é uma das ferramentas para preservar a cultura caipira

Nascida envolta nas tradições caipiras e sertanejas do interior paulista, Penápolis tem hoje em seu armário cultural uma preciosidade musical deste mundo, a Orquestra Penapolense de Música Raiz. Criada em 2003, a orquestra, que já chegou a mais de 30 componentes, atualmente tem 15 membros, mas a ideia é que isso se expanda ainda mais.

Com isso, a Secretaria Municipal de Cultura e a Orquestra Penapolense de Música Raiz convidam todos os amantes da música para participar da reunião nesta terça-feira (16), às 19h30, na Sala de Convenções do Museu do Folclore.

O encontro tem o objetivo de retomar as atividades da orquestra como ensaios, montagem de repertório, além de aulas de viola para iniciantes. A reunião também é necessária para articular a nova diretoria da associação, responsável pela orquestra. A participação da Secretaria na associação que mantém a orquestra vem em forma de auxílio em algumas atividades, como deslocamento para apresentações, ajuda de custo e investimentos.

ESTATUTO
A orquestra tem no seu estatuto a formação de novos músicos nos instrumentos musicais, como viola violão, sanfona e cavaquinho, além de vocal. O encontro é aberto a todos os interessados. O Museu do Folclore está localizado na Praça 9 de Julho, no Centro Cultural Dr. Braulio Sammarco. Mais informações pelo telefone 3652-5568.

"A orquestra tem o intuito de formar pessoas interessadas. Defendemos a música raiz para que ela não termine. Ela faz parte da nossa cultura e da nossa história", explica uma das participantes e secretária da orquestra, Maria de Fátima Lustrosa.

Sobre o apoio da Secretaria no auxílio aos trabalhos da entidade, Fátima explica que a pasta "tem ajudado muito". "Como ela é associação, a Secretaria não tem vínculo direto. Só fornece apoio e o que temos tido, recentemente, é uma forte estímulo e incentivo por parte do secretário e toda a equipe", explica.

Quanto à adesão do público, são grandes e positivas as expectativas para Fátima, que é participante do grupo há mais de 15 anos. "Espero que tenhamos uma ampla inserção de novos membros. Da mesma forma como a orquestra faz parte da minha vida, quero que ela faça parte da vida de outras pessoas", finaliza. Atualmente a orquestra conta com viola, violão, baixo, bateria, sanfona e um grupo de mulheres que cantam.

PREMIAÇÃO
Em dezembro de 2017, a orquestra foi indicada pela Comissão de Educação e Cultura da Assembleia Legislativa para receber o prêmio Inezita Barroso, que homenageia artistas que prestaram e prestam relevante contribuição para a música caipira de raiz no Estado.

A Orquestra foi indicada ao prêmio pelo deputado Itamar Borges. Com a formação focada no "casal" viola e violão, instrumentos diferentes, mas capazes de grande harmonia quando tocados juntos, a ela realiza diversas apresentações por toda a região.
A segunda edição do prêmio Inezita Barroso homenageará 10 músicos e bandas, e será entregue no primeiro semestre de 2018, durante Sessão Solene realizada na Assembleia Legislativa.

A população da cidade tem a orquestra como um orgulho em seu patrimônio, pois presta um trabalho de preservação e resgate cultural da música sertaneja raiz de maneira intensa.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.384203

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook