Prefeito está atualizando valores e cobrando tributo devido de quem aumentou propriedades

Prefeito Tanaka quer melhorar arrecadação do IPTU

Estratégia é atualizar valores do imposto

Em seu primeiro mandato, o prefeito de Guaraçaí, Nelson Tanaka (PPS), precisa de recursos para poder administrar o município. Porém, conta com poucas fontes de dinheiro para isso. Para contornar essa situação, o pepessista é realista e não acredita que alguma indústria grande vai se mudar facilmente para o município, por uma questão de logística. 

Segundo Tanaka, a solução é incentivar o pequeno produtor rural, principalmente, os que se dedicam à fruticultura. Além disso, o chefe do Executivo quer melhorar a arrecadação do IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano), atualizando valores e cobrando o tributo devido de quem aumentou suas propriedades, mas não está recolhendo nada por conta disso.

“Ninguém quer prejudicar o morador, mas nosso IPTU está defasado”, afirmou Tanaka. Outra opção é a busca de recursos com os governos estadual e federal. Conforme o prefeito, esses contatos já renderam alguns frutos, como uma UBS (Unidade Básica de Saúde), ambulância e a canalização de córrego para o município. 

CARREIRA
Tanaka já foi vice-prefeito do município, na gestão de Alceu Caetano, e havia concorrido ao Executivo anteriormente três vezes, sem sucesso. Ele acha que isso ocorria por causa de sua insistência em não fazer coligações, para não se comprometer com promessas de campanha depois. Mesmo assim, ele insistiu e lançou sua candidatura em chapa pura novamente no ano passado. 

O pepessista já foi filiado ao PT, por influência do ex-prefeito de Andradina Jamil Ono, mas saiu da sigla no ano passado por causa da repercussão de escândalos envolvendo a legenda. 

Confira trechos da entrevista que Tanaka concedeu à Folha da Região

Qual é a avaliação que o senhor faz desses primeiros meses que está no governo?
Hoje, a Prefeitura de Guaraçaí é a mais carregada em relação ao pagamento de quadro de pessoal. Em dezembro, ela (folha de pagamento) ultrapassou o teto. Hoje, está no teto: 53,5% ou 53,8%. Não posso contratar um funcionário, por ordem do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo). Só para você ter uma noção, a cidade tem 8.500 habitantes e 402 funcionários concursados. Não podemos demitir uma pessoa. Qual a medida que eu tomei logo que entrei? Cortei alguns cargos em comissão. Ainda bem que eu sai sozinho. E cortei as horas extras. Aí a folha se enquadrou dentro dos 54%. 
    
Dois ex-prefeitos foram acionados pela Justiça (Alceu Cateano e Antonio Suttini, já falecido) por causa de cargos comissionados considerados inconstitucionais. Como o senhor vê essa questão dos comissionados?
Os cargos questionados pelo Judiciário e TCE-SP foram todos extintos. Tem cargos que necessitam do comissionado. Eu sou contrário a criação de cargos, mas tem postos que, sem eles, você não toca a Prefeitura, não consegue administrar. Por exemplo: os secretários de saúde e da educação, o chefe de gabinete, o fiscal geral e coordenador do meio ambiente. Eu acho que o advogado também deveria ser comissionado, pois ele deve ser pessoa de confiança. E também os cargos responsáveis por licitação, convênios e compras. Mas aqui eles são todos concursados. 

Como o senhor analisa a questão da ética na administração pública?
Acho que depois da Operação Lava Jato a política no Brasil vai melhorar, porque a população está correta. Infelizmente, o País está nesta recessão por causa dos políticos. Não tem outra classe com maior culpabilidade do que os políticos. Mas você pode ficar tranquilo. Se há uma pessoa que vai moralizar, se chama Tanaka. Não quero nada de Prefeitura. Aqui nós vamos pregar o honesto, o transparente. 
    
Qual é o maior desafio para a sua gestão?
Hoje é a falta de recursos. Nossa cidade tem muitos problemas de infraestrutura, principalmente a parte de recapeamento e a falta de casas populares. Fora a parte de saúde, onde faltam medicamentos. Nós temos um hospital municipal. Guaraçaí é um dos poucos municípios que tem um. A Prefeitura, na verdade, quase o mantém sozinha, fazendo repasse de R$ 130 mil mensais. Se você analisar por aqui (microrregião de Guaraçaí), não tem hospital municipal em Andradina, Murutinga do Sul. Em Mirandópolis, o hospital é do Estado. Lavínia tinha um, mas fechou. Isso onera o município. 
    
Como está a arrecadação da Prefeitura?
Ela não é alta, porque não tem indústria. Não temos usina de álcool. A cidade vive estritamente da agropecuária. Eu não prometo indústrias, porque todas elas veem a parte de logística. Pode ver que as indústrias estão perto dos grandes centros, como Americana, Piracicaba, São Bernardo do Campo, e por aí vai. Nós estamos no final do Estado, no fim da linha. No momento, não vejo uma indústria que queira vir para cá gerar emprego. Acho que a única saída é incentivar os pequenos produtores, principalmente na fruticultura. Andradina está pleiteando um centro da USP (Universidade de São Paulo). Isso já melhoraria. Mas em curto prazo, não vejo melhora. 
    
Como resolver isso?
Município é igual a empresa, vive de receita e tem despesas constantes. Para melhorar o município, você tem que melhorar sua receita. Vamos rezar para que venha uma mini-indústria, para que os produtores entrem na fruticultura e horticultura. Além de corrigir os valores do IPTU, que é uma receita própria. Ninguém quer prejudicar o morador, mas nosso IPTU está defasado. Vamos mandar reavaliar os imóveis. Tem muitas construções que você não sabe, mas o morador aumentou um cômodo e não recolhe nada. Para “melhorar” o IPTU, é preciso melhorar a cidade, pois ela está cheia de buracos. Estou correndo atrás de deputados. Fui a São Paulo algumas vezes e ao governo federal. Conseguimos algumas coisas, como uma UBS (Unidade Básica de Saúde), uma ambulância e a canalização de um córrego. 
    
Qual é o seu relacionamento com a Câmara? 
Não podemos falar que temos uma minoria. Hoje, estamos quatro a quatro. Na verdade, nós estamos com mais oposição do que situação, porque eu fui candidato sozinho contra todos os partidos. Graças a Deus, aqui ninguém compra vereador. Para parlamentar votar em meu projeto, tem que ser de livre e espontânea vontade. Aqui ninguém favorece um ou outro vereador. Se falar em dinheiro aqui, não conte comigo. O que eu e a minha mulher temos de bens está bom demais. Estou contente com o que tenho e com o que ganho. 
    
Como você quer ver Guaraçaí quando deixar a Prefeitura?
Acho que até lá vai mudar muita coisa. Se Deus quiser, não só Guaraçaí, mas o Brasil todo vai melhorar. O pessoal vai ter outra mentalidade, vai pensar no todo e não só no dele. Acho que o País vai ser bom para todos e que Guaraçaí estará no meio disso.
 

VEJA AQUI TODAS AS REPORTAGENS DA SÉRIE
'SUA CIDADE EM DISCUSSÃO'



LINK CURTO: http://tinyurl.com/k7c7zfg