Polícia reconstitui morte de estudante

O suspeito está preso e não participou da ação

A Polícia Civil de Ilha Solteira fez ontem (15) a reconstituição do assassinato da estudante Maria Julia Martins Quintino da Silva, 17 anos, que levou 35 golpes de canivete do ex-namorado no dia 9 de abril. O suspeito está preso e não participou da ação, que durou cerca de três horas.

De acordo com o Ministério Público, a reconstituição era o procedimento que faltava para conclusão do inquérito e para a Promotoria oferecer à Justiça a denúncia contra o ex-namorado. Segundo a polícia informou na época, a adolescente saiu da república onde morava e estava a caminho do câmpus da Unesp (Universidade Estadual Paulista) quando foi abordada pelo suspeito, que estava escondido atrás de uma parede. Maria Julia era residente em General Salgado e cursava o primeiro ano da faculdade de zootecnia.
O ex-namorado foi preso dois dias depois do crime, em Pereira Barreto, quando tentava pegar carona. O primo dele, um cabeleireiro de 30 anos foi preso no dia do assassinato, acusado de participar da ação. Em audiência de custódia, ele foi liberado para responder o inquérito em liberdade mediante o pagamento de fiança no valor de um salário-mínimo.
LINK CURTO: http://folha.fr/1.404708

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook