Polícia de Penápolis vai investigar agressão de grupo de jovens a adolescentes e mulher

Acusados estavam com bicicletas motorizadas

A Polícia Civil de Penápolis vai investigar um grupo de jovens suspeitos de agredirem três pessoas em um intervalo de 10 minutos, na tarde de quarta-feira (24). Eles estariam com bicicletas motorizadas e portavam barras de ferro. Apesar de as vítimas morarem em bairros diferentes, a ação ocorreu da mesma maneira, sendo que estavam em suas casas e foram chamadas para fora.

Segundo as vítimas, as agressões podem ter sido ocasionadas por conta de uma publicação em uma rede social. O primeiro caso ocorreu por volta das 17h, no Residencial Florença. Um comerciante de 42 anos contou à polícia que estava em sua residência, quando algumas meninas chegaram e passaram a chamar por seu filho, de 15. Dois jovens chegaram minutos depois e, ao verem a vítima dentro da casa, passaram a chutar o portão.

Neste momento, o comerciante saiu para ver o que estava acontecendo, quando percebeu que um dos suspeitos estava com uma barra de ferro nas mãos. Ele foi conversar com o garoto, quando o filho saiu na calçada. 

Nesse momento, outro jovem, que fazia parte do grupo, deu um soco no rosto do garoto. O rapaz que estava com a barra de ferro golpeou o adolescente nas costas. Após isso, o grupo fugiu.

Câmeras de segurança filmaram a ação. As imagens devem ser entregues à Polícia Civil. O garoto foi levado ao pronto-socorro, onde passou por atendimento médico.

JARDIM TÓQUIO
Dez minutos depois, outro adolescente, também com 15 anos, foi agredido pelo grupo. O caso ocorreu na rua Olavo Bilac, no Jardim Tóquio. Uma menina passou a chamar a vítima no portão de sua casa. Quando o jovem saiu para ver do que se tratava, um dos suspeitos perguntou o nome dele. Ao responder quem era, passou a ser agredido pelo grupo, que usava um pedaço de madeira, atingindo a vítima na cabeça, causando ferimentos. 

A mãe do adolescente, uma costureira de 35 anos, ao ver o que estava ocorrendo, foi ao encontro do filho, na tentativa de ajudá-lo, mas também foi ferida na mão. O grupo fugiu. Mãe e filho passaram por atendimento médico no PS. A Polícia Militar fez buscas pela cidade, entretanto, nenhum dos suspeitos foi localizado e preso.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.385930

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook