Bicicleta que teria sido utilizada pelo tarado foi apreendida pela polícia

'Peladão' que ataca mulheres na região é reconhecido por dez vítimas em delegacia

Mesmo assim, vai responder em liberdade

Um homem, acusado de ficar nu ao atacar mulheres na área central de Castilho (a 126 km de Araçatuba), foi reconhecido na tarde de segunda-feira (11) por dez vítimas depois de ser detido por policiais civis, com apoio da Polícia Militar. Roupas e uma bicicleta foram apreendidas.

Todas as dez vítimas localizadas pela polícia, entre 14 e 35 anos, fizeram o reconhecimento do 'peladão', que passava a mão nas moças e ainda exibia o órgão genital. Os ataques eram realizados pela manhã, nos arredores de escolas, por volta de 6h, quando algumas mulheres estavam em pontos de coletivo ou indo para a aula.

Os crimes aconteciam desde maio deste ano. O reconhecimento foi unânime. Algumas das vítimas ficaram assustadas e precisaram ser amparadas pelos policiais.

ESCURO
Os ataques aconteciam nas ruas José Leandro de Souza, que fica em frente à Escola Municipal Youssef Neif Kassab, e José Manoel de Ângelo, lateral com a Escola Estadual Dário Giometti, próximo ao estádio municipal. Ele se aproveitava da pouca iluminação e ficava nas proximidades, às vezes em uma bicicleta, que foi apreendida. 

Uma das vítimas encontrou o 'peladão' duas vezes só no mês passado, registrando boletim de ocorrência. "Ele assoviou; quando olhei, ficou pelado, mostrando o pênis e encobrindo o rosto", narrou uma das vítimas.

Na segunda vez, segundo ela, o acusado até colocou as mãos entre suas pernas e apertou suas nádegas. "Ele estava novamente com o rosto coberto; vestia short jeans idêntico ao que foi apreendido", declarou.

Outra vítima contou à polícia que correu quando o viu mostrando o órgão genital. Mas ele a perseguiu, colocando as mãos entre suas pernas e dizendo palavras obscenas. O 'peladão' estava em uma bicicleta e também com o rosto coberto. "Mas eu marquei bem os olhos dele", afirmou a moça.

NEGOU
Após o reconhecimento, o homem, que é casado e tem filho, negou o crime. Ele vai responder em liberdade por importunação ofensiva ao pudor. O delegado responsável pela apuração do caso, Carlos Sérgio Falsiroli, explicou que foi registrado um termo circunstanciado e que não cabe prisão e nem expedição de mandado de prisão.

Uma das vítimas confirmou à reportagem as acusações registradas contra o 'peladão'. "Depois disso, eu comecei a ter medo de ir a pé, sozinha, para a rodoviária", disse. "Qualquer pessoa com o mesmo estereótipo e de bicicleta me deixa preocupada na rua, com medo de que queira fazer algo comigo".

A vítima disse ainda que mudou o trajeto quando vai a pé. "Isso me deixou mal. Parece que o que este rapaz fez 'não é nada demais', mesmo com tantas ocorrências", disse. "O que precisa para um tarado ser preso? Será que precisa acontecer uma tragédia? É o que ficamos pensando ao saber que depois de tudo isso ele ainda está solto", lamentou.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.361416