Nalberto Vedovotto é coach, jornalista e escritor em Birigui

Nalberto Vedovotto: Almeirão com sal?

Na edição de 16 de janeiro passado, a Folha da Região publicou seu editorial com o título: “Jovem prefeito, velhas práticas”, cujo personagem central foi o prefeito da cidade de Birigui, Cristiano Salmeirão. Entre outras coisas, o texto afirmava que Salmeirão deixará dívidas para quem sucedê-lo: “Eles deixaram dívidas e eu farei isso também com os demais”, declarou o prefeito.

Votei em Salmeirão pela primeira vez em seu segundo mandato por vislumbrar um cidadão íntegro, com visão de futuro, e apresentar um projeto no seu primeiro mandato – que foi rejeitado: queria implantar no município a doação de medicamentos de alto custo, sem que o biriguiense precisasse acionar a Justiça.

Por essa iniciativa, conquistou minha admiração e o voto. Só não votei nele para o quadriênio de 2013/2016 por assumir o compromisso com pessoa muito próxima. Portanto, penso que posso deixar a seguir, algumas perguntas para que ele responda não a mim, mas ao seu “patrão”, o contribuinte que paga seu imposto em dia. Se quiser utilizar esse espaço no próximo sábado já está autorizado.

1) Terá mesmo o desatino de agir de acordo com que o editorial denunciou? Não teme a Lei de Responsabilidade Fiscal – ficha limpa? Ter o nome inscrito nos anais negativos do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, por prováveis contas rejeitadas?

2) Em várias entrevistas disse que executaria determinada ação, ou realizaria uma obra, colocando-se sempre o verbo na primeira pessoa: “Eu vou mandar pagar...”, “Eu vou asfaltar tais e tais ruas da periferia...”. Acredita lá no fundinho do seu inconsciente que é você quem paga as contas?

3) Ouvi de pessoas que são contra seu grupo político, que houve troca de “gentilezas” com municípios vizinhos para o preenchimento de cargos de secretários. Alguém de Birigui foi para outras cidades e delas vieram pessoas que hoje estão instalados no Executivo. Até que ponto isso é verdade?

4) No início de seu mandato aconteceu pela primeira vez na história política de nossa cidade – para nossa vergonha –, atentados com tiros disparados contra as casas de um vereador e ex-secretário da administração passada. Isso já foi esclarecido pela Justiça local? Ficou provada sua total isenção a este tipo de barbárie?

5) Até quando pretende manter-se na posição de “pequeno príncipe” e ficar batendo de frente com quatro vereadores que questionam suas ações?

6) Infelizmente recebeu a herança de dois “elefantes brancos”: Centro do Professorado – no Morumbi, e prédio da Câmara Municipal – rua Santos Dumont. Vai deixar escorrer pelo ralo o dinheiro do erário de forma irresponsável como agiram seus antecessores? Se fossem propriedades particulares suas as deixaria à ruína, sob a ação deletéria do tempo?

Por último, a pergunta tradicional: está preocupado com a futura geração (nossas crianças, jovens) e um repouso digno aos idosos, ou simplesmente com a próxima eleição?

LINK CURTO: http://folha.fr/1.386469

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook