Salmeirão não sancionou a lei, ficando a impopular tarefa para Vadão (foto)

MP questiona Câmara de Birigui sobre novos apadrinhados

Foram solicitadas explicações sobre atribuições e remuneração

A Câmara de Birigui recebeu ofício do Ministério Público que questiona a recente criação de cargos comissionados no Legislativo, com salários que variam de R$ 4,5 mil a R$ 5,9 mil. Conforme o documento assinado pelo promotor Paulo Sérgio Ribeiro da Silva, são solicitadas explicações sobre as atribuições, remuneração e forma de preenchimento das funções. 

A aprovação dos postos gerou protestos e, há quem diga, até um desgaste político entre o presidente da Câmara, Vadão da Farmácia (PTB), e o prefeito Cristiano Salmeirão (PTB). Salmeirão não sancionou a lei, ficando a impopular tarefa para Vadão. (Arnon Gomes)