Grandolfo vinha de Brasília, onde acompanhava votação para criação da Polícia Penal Federal

Morre presidente de sindicato que havia ficado ferido em colisão

Dois diretores da entidade também morreram

O presidente do Sindasp (Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo), Daniel Grandolfo, 37 anos, morreu na manhã desta quinta-feira (12) no Hospital de Base de São José do Rio Preto. Ele estava internado desde quarta-feira (11) após a colisão entre o carro em que estava e um caminhão na rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), entre Barbosa (região de Araçatuba) e José Bonifácio. 

Os outros dois passageiros do veículo, os diretores do sindicato Edson Chagas, 57, e José Cícero de Souza, 54, morreram na hora. Conforme a assessoria de imprensa do sindicato, o trio voltava da capital federal, onde acompanharia a votação no Senado da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) 14/2016, que cria a Polícia Penal Federal nos Estados e no Distrito Federal. A votação não ocorreu por falta de quórum.

CARREIRA
Grandolfo denunciou como "um massacre" a morte de 23 agentes penitenciários em 2006, durante a onda de violência desencadeada a partir dos presídios pelo Primeiro Comando da Capital (PCC), pois os agentes trabalhavam desarmados.

O líder sindical revelou também uma lista de agentes penitenciários e familiares marcados para morrer pela facção criminosa. No início deste ano, ele denunciou as condições precárias de trabalho dos agentes devido à superlotação das unidades prisionais paulistas.

De acordo com o Sindasp, os líderes sindicais retornavam de viagem a Brasília, onde acompanhavam tramitação de emenda constitucional que equipara direitos funcionais dos agentes penitenciários ao de policiais civis e militares, possibilitando que façam, por exemplo, a escolta de presos. 

Na rodovia, o carro em que estavam colidiu com um caminhão carregado de tijolos. As causas do acidente ainda são apuradas. Grandolfo e os outros diretores atuavam em penitenciárias da região de Presidente Prudente.

SEPULTAMENTOS
Souza será sepultado às 14h desta quinta-feira, em Álvares Machado (SP). Chagas será enterrado em São Paulo, onde reside a família. O corpo de Grandolfo será velado a partir das 15h na Casa de Velório Athia, em Presidente Prudente.

O presidente do Sindicato dos Policiais Civis da Região de Presidente Prudente (Sipol), Fábio Morrone, divulgou nota lamentando as mortes. "Três guerreiros se foram, e na batalha. Nossa eterna admiração e respeito", diz a nota. (Com informações da Agência Estado)

LINK CURTO: http://folha.fr/1.367252

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook