Lei Maria da Penha fica mais rigorosa contra agressores

O desempregado João José da Silva (nome fictício), 33 anos, foi preso em flagrante na noite da última quarta-feira (11), em Araçatuba, acusado de descumprir medida protetiva em favor da avó dele, uma aposentada de 78 anos. Com base na lei Maria da Penha, a Justiça havia determinado que ele se mantivesse afastado da casa da avó, o que foi descumprido.

A partir de agora, prisões como essa passarão a ser frequentes. É que no último dia 4 entrou em vigor alteração na lei Maria da Penha, que criminaliza o descumprimento de medida protetiva.

O texto sancionado pelo presidente Michel Temer (MDB) prevê pena de três meses a 2 anos de detenção para quem descumprir a lei. Além disso, o descumprimento passa a configurar crime, independentemente de a medida ter sido concedida por juiz da área civil ou criminal.

No caso ocorrido em Araçatuba, a Polícia Militar foi chamada na casa da vítima por volta das 21h e, quando chegou, o acusado havia deixado o local. Segundo a idosa, apesar da medida protetiva, ele conseguiu entrar no quintal e começou a bater na porta da residência, gritando que iria bater na avó e atear fogo na casa.

Cerca de duas horas depois, a polícia recebeu nova denúncia de que o acusado estava tentando invadir a casa da avó e, desta vez, ele foi surpreendido quando tentava pular o muro para entrar no imóvel. O acusado estava bastante alterado e, segundo o boletim de ocorrência, aparentemente sob efeito de drogas.

O desempregado foi conduzido à delegacia, onde foi apresentada decisão judicial com várias medidas protetivas em favor da idosa. Ele foi preso em flagrante pelos crimes de ameaça e de descumprimento de medida protetiva, sem direito à fiança.

Leia esta notícia na íntegra em nossa edição digital para assinantes
LINK CURTO: http://folha.fr/1.399591

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook