Homem atira na companheira e é morto por policiais

Apontou arma para PMs em matagal

O lavrador Felipi Soares da Silva, 22 anos, conhecido como Felipão, morreu na noite de sábado (27) em Guzolândia (município a 90 quilômetros de Araçatuba), após apontar arma contra policiais militares. Momentos antes, ele havia atirado na companheira, uma dona de casa de 29 anos. A mulher foi internada na Santa Casa de Araçatuba.

Com o lavrador a polícia apreendeu uma pistola calibre 380, com numeração raspada, e carregada com 12 cartuchos intactos. É a segunda morte de pessoas em confronto com a PM na região em uma semana. 

Segundo o boletim de ocorrência, o caso aconteceu pouco antes das 20h, no bairro Limoeiro, onde residia o casal. Policiais militares foram informados que o lavrador havia atirado com a pistola no peito da companheira e fugido para a fazenda São José, no córrego Guará.

Após a mulher ser socorrida para o hospital de Auriflama, os policiais foram até a propriedade e uma testemunha contou que o autor da tentativa de homicídio havia se escondido em um matagal. As equipes iniciaram a varredura pelo local e um dos policiais viu, quando a cerca de 100 metros dele, o lavrador levantou-se atrás de uma curva de nível, segurando a arma e em posição de tiro.

Os policiais deram ordem para o jovem se entregar e, agindo por instinto, dois deles dispararam contra o lavrador, que foi atingido e caiu no chão. Um dos policiais foi até o local onde o ferido estava e pegou a pistola que ele portava, que estava caída ao lado dele. Foi solicitado o resgate, que o encaminhou até o pronto-socorro de Auriflama.

De acordo com o boletim de ocorrência, o paciente deu entrada na unidade com vida, mas não resistiu aos ferimentos. Equipe do IC (Instituto de Criminalística) realizou perícia no local e as armas dos dois policiais que participaram da ocorrência foram entregues à corporação e também serão submetidas a perícia. Trata-se de uma pistola calibre .40 com 15 cartuchos íntegros e uma carabina CT. 30, com 19 cartuchos íntegros.

CRIME MILITAR
Como houve o entendimento de que ocorreu um crime militar, os policiais envolvidos na ocorrência não foram apresentados no plantão policial. Porém, eles foram submetidos a exame residuográfico e um inquérito militar será instaurado para apurar os fatos. O promotor de Justiça responsável pela área foi informado do caso.

O corpo de Silva passou por exame necroscópico no IML (Instituto Médico Legal) antes de ser liberado aos familiares. A companheira dele teve que ser transferida para a Santa Casa de Araçatuba devido à gravidade do ferimento, mas não há informações sobre o estado de saúde da paciente.

Esse foi o segundo caso de morte envolvendo policiais militares em uma semana na região. No último domingo (21), o comerciante Ademir Magalhães Rondina, 51, morador no bairro Icaraí, em Araçatuba, foi morto enquanto atirava tijolos em integrantes da corporação.

Antes, ele esfaqueou a esposa e matou os pais. Foi instaurado inquérito pela PM, pela Polícia Civil e o Ministério Público também investiga o caso.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.386281

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook