Cláudio Barbosa de Souza (esq.), Leandro Moreira, Benedito Dafé, Felipe Barone e Carla Bianchi

Governistas dominam a 'CEI do caminhão-pipa' na Câmara de Birigui

Dos 5 membros, 4 compõem base de apoio de Salmeirão

Os cinco membros da CEI (Comissão Especial de Inquérito) que vai investigar possível ato de improbidade administrativa, envolvendo o uso de caminhão-pipa da Prefeitura de Birigui para abastecer um clube particular, foram sorteados durante a sessão da Câmara, na última terça-feira. A maioria deles é da base aliada do prefeito Cristiano Salmeirão (PTB). 

Dos sorteados, apenas Benedito Dafé (PV) integra a oposição. Os demais membros, todos aliados governistas, são: Cláudio Barbosa de Souza (PSB), Carla Bianchi (PSD), Leandro Moreira (PRB) e Felipe Barone (PPS). Ficaram impedidos de participar os vereadores Fabiano Amadeu (PPS), por ser filho do proprietário da área de lazer beneficiada, e José Fermino Grosso (DEM), a pedido do próprio democrata. 

Os membros da comissão escolherão, entre si, o presidente e o relator. A CEI tem prazo de até 90 dias para concluir seus trabalhos. Após as apurações, será elaborado um relatório, com parecer da comissão, que será lido em plenário. Se algo de ilícito for encontrado, o relatório apontará quais serão as providências cabíveis a serem tomadas.

AUTOR
O pedido de CEI é de autoria do vereador Luís Roberto Ferrari (DEM), da oposição. 
A comissão vai apurar o uso de um caminhão-pipa pertencente ao município em clube particular no bairro Portal da Pérola 1, de propriedade do pai de Fabiano, durante o último dia 8 — ponto facultativo por causa do feriado da Independência, no dia anterior. O fato veio a público após vídeo do veículo prestando serviços no local viralizar nas redes sociais. 

SINDICÂNCIA
A Prefeitura abriu sindicância para apurar o caso e demitiu o então secretário de Serviços Públicos, Água e Esgoto Eldir Paulo Scarpim, sob o argumento de dar mais transparência às investigações. Scarpim foi substituído por Cleverson José de Souza Tody, que era diretor da pasta. 

Além do abastecimento da área de lazer, Ferrari apontou outras irregularidades, que podem caracterizar ato de improbidade. Segundo o pedido de CEI, o pai de Fabiano teria utilizado ambulância do município para visitar o clube. O democrata observou também que a Secretaria de Finanças não estava aberta no dia em que o caminhão-pipa foi solicitado para receber os valores, bem como o protocolo não estava funcionando, para fazer o registro do pedido. 

Amadeu nega envolvimento na solicitação, argumentando que seu pai é separado de sua mãe e que mora com outra família. O parlamentar afirma que seu pai fez o pedido diretamente ao ex-secretário, que não teria conhecimento do parentesco entre os dois. Além disso, o vereador diz que seu pai pagou pela água e combustível utilizados. 

LINK CURTO: http://folha.fr/1.363501

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook