Política no sangue: Fátima é a 1ª mulher a administrar o município

Transformar Castilho em Município de Interesse Turístico é desafio de Fátima

Para a democrata, esta é uma maneira de trazer investimento

Um dos objetivos da prefeita de Castilho, Fátima Nascimento (DEM), é transformar a cidade em um Município de Interesse Turístico. Para a democrata, esta é uma maneira de trazer investimentos no ramo turístico para a cidade. Segundo Fátima, apesar da vocação natural, Castilho ainda não conseguiu o título, mas esta será a missão de seu governo. 

A política está no sangue de Fátima, que é filha de Pedro Gavioli, o primeiro prefeito de Nova Independência. Ela foi casada com o ex-prefeito de Castilho José Miguel Nascimento, já falecido, com quem teve quatro filhos, entre eles, o vereador Flávio Nascimento (DEM) e a secretária de Saúde, Janini Nascimento. 

A nomeação de Janini para a pasta gerou, além de polêmica, um inquérito do Ministério Público para investigar se houve ou não caso de nepotismo na indicação. Porém, Fátima afirma que o posto de secretário é de agente político e que, por isso, não pode ser considerado nepotismo. 

Fátima é a primeira mulher a comandar o Executivo de Castilho. Ela foi a candidata a prefeita mais votada da história na eleição do ano passado, quando recebeu 6.710 votos (58,19%). Confira trechos da entrevista que ela concedeu à Folha da Região:
    
Qual o balanço que a senhora faz nesses seus primeiros meses de governo?
Temos avançado bem. Há muito para ser realizado. No início da gestão, concluímos que o gasto no evento do carnaval seria melhor aplicado na aquisição de uma máquina de raio X para realizar radiografia em membros superiores e inferiores, como exame complementar nas especialidades de cardiologia, pneumologia e ortopedia. Reformamos a central de ambulâncias, melhorando o transporte das pessoas enfermas. No departamento de Cultura foram adquiridos novos instrumentos musicais e uniformes aos alunos. A Secretaria de Obras está viabilizando a conclusão de obras que antes estavam paralisadas. Dinamizamos uma equipe para cuidar e manter as ruas limpas, logradouros urbanos e estradas rurais.

Qual é o maior desafio de sua gestão?
O maior desafio é incluir Castilho como Município de Interesse Turístico. Apesar da sua vocação natural, a inclusão não aconteceu. Sabemos das dificuldades para obtermos este resultado. Há de ter muita, muita vontade política, mas esta é nossa missão. Castilho será reconhecido como Município de Interesse Turístico.
    
Existe alguma área que a senhora deseja priorizar?
Eu considero que todas as áreas são prioritárias. Cada uma delas tem sua importância para nossa gente. Por isso, implantamos o projeto Humaniza Castilho, que está começando na Secretaria de Saúde e depois estenderemos às outras pastas e departamentos. O Humaniza Castilho tem como objetivo melhorar o atendimento no dia a dia. As pessoas chegam fragilizadas e o mínimo que o servidor público deve fazer é dar um atendimento humanizado. Estamos investindo no treinamento dos nossos funcionários, intensificando as campanhas de prevenção e acabando com as filas do agendamento. É um trabalho silencioso, mas com o tempo as pessoas vão perceber o quanto melhorou. Afinal, gentileza gera gentileza e, assim, o ambiente fica mais prazeroso.
    
Como está a situação financeira da Prefeitura?
É de conhecimento de toda a população que a economia do País está fragilizada. Castilho não é diferente. A arrecadação caiu e a demanda nas áreas da saúde, educação e social aumentaram. Foram aplicados na educação 30,43% e na saúde 29,43%, ou seja, acima do que determina a nossa legislação. Foi reajustado o salário dos servidores públicos em 4,57% e elevamos o vale-alimentação em 10%. Neste mês será antecipado 50% do 13º salário. Todos os compromissos estão sendo pagos na data do vencimento. Estamos enxugando gastos e administrando com zelo para servir bem a nossa população.
    
A senhora tem planos para atrair investimentos para o município?
Estamos atravessando uma crise financeira acentuada, na qual empresários e microempresários estão com muitas dificuldades financeiras. Mas o nosso propósito em incluir Castilho no Município de Interesse Turístico despertará interesse automático de empresários de médio e pequeno porte no ramo, já que o turismo é a mola propulsora de geração de empregos e renda no município, fortalecendo, com isso, o comércio local.
    
Qual é o seu relacionamento com a Câmara?
Respeito e transparência. O vereador está para a população como estou para o município e para nossa gente. Portanto, para nossa administração, não há vereador de situação ou oposição. Há pessoas comprometidas com nossa gente, tanto é verdade que, recentemente, todos os vereadores de Castilho, a nosso pedido, estiveram reunidos para, de forma saudável, aglutinar ideias para desenvolver Castilho, com geração de empregos e renda.
    
No mês passado, o MP instaurou inquérito para investigar possível caso de nepotismo no município, por conta da nomeação de duas filhas suas para cargos públicos. O que a senhora tem a dizer sobre essa investigação?
A nomeação de pessoas com grau de parentesco com agentes políticos se deu por capacidade técnica, e demonstramos serem os nomeados reconhecidos pela sua graduação e não por protecionismo. Mesmo porque somente minha filha Janini Nascimento foi nomeada para ocupar o cargo de secretária de Saúde. Portanto, é agente político e, assim, não é considerado nepotismo.
    
O que a senhora pensa a respeito dos cargos comissionados?
Cargos comissionados são os nomeados que assessoram diretamente o prefeito e seus respectivos secretários. No início de nossa administração reduzimos os cargos comissionados e, no mesmo ato, reduziu-se o valor do salário, economizando com gasto de pessoal mais de R$ 1 milhão desde janeiro deste ano, possibilitando reajustar o salário dos servidores em maio, vale-alimentação e pagar antecipadamente parte do 13º salário, bem como investir na educação e saúde. Ou seja: enxugamos gastos em prol da nossa gente e do nosso servidor público.
    
Qual a sua opinião sobre nepotismo?
Nepotismo é favorecimento excessivo de parentes e amigos no poder público em cargos comissionados, excluindo os secretários, pois estes são agentes políticos.
    
Qual é o objetivo do projeto enviado para a Câmara referente aos funcionários por gratificação?
O projeto de lei que cria função gratificada encaminhado à Câmara tem por objetivo nomear servidor público efetivo para ocupar cargo de direção. É uma forma de valorizar o servidor público concursado que esteja apto a ocupar cargo desta natureza.

VEJA AQUI TODAS AS REPORTAGENS DA SÉRIE
'SUA CIDADE EM DISCUSSÃO'



LINK CURTO: http://tinyurl.com/y74887n6

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook