Nivaldo Martins Coelho foi condenado a 14 anos e dez meses de prisão

Ex-delegado preso deve ir para o semiaberto em outubro

Coelho foi condenado pela Justiça de Penápolis

Preso desde novembro de 2014 no presídio da Polícia Civil, em São Paulo, o ex-delegado de polícia Nivaldo Martins Coelho, que reside em Penápolis, deve obter a progressão de pena para o regime semiaberto em outubro deste ano. A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

O benefício da progressão de pena é concedido após o cumprimento de pelo menos um sexto da pena. Coelho foi condenado pela Justiça de Penápolis em primeira instância, em abril de 2015, a 17 anos e três meses de prisão por 13 crimes. Ele recorreu da sentença a pena foi reduzida pelo TJ-SP para 14 anos e dez meses de prisão.

Segundo a assessoria de imprensa do tribunal, a progressão para o regime semiaberto está prevista para 3 de outubro. Em fevereiro de 2020, ele deverá progredir para o regime aberto e em agosto do mesmo ano, deve ser concedida a liberdade condicional. O término da pena está previsto para fevereiro de 2032, segundo o TJ-SP.