Sem apologia à pobreza, escritora diz que dinheiro só é útil se for usado em prol da sociedade

Escritora Cláudia Canto fala da riqueza que ignoramos

Para autora, dinheiro só é útil se for utilizado em prol da sociedade

Apesar de andar de ônibus, de periferia a periferia, ir à feira às três horas da tarde, a escritora Cláudia Canto se considera uma pessoa rica e milionária. Não por ter muito dinheiro à sua disposição. Mas, sim, por saber o que fazer com o que já possui, não só em termos financeiros. 

É essa visão de mundo que a escritora e também jornalista procura transmitir em suas palestras em escolas, faculdades e na Fundação Casa. Ela esteve na semana passada em Birigui, a trabalho, e concedeu entrevista à Folha da Região. Cláudia deve retornar ao município ainda neste ano para participar da Flib (Festival Literário de Birigui) e proferir palestras em escolas da cidade. 

Para a escritora, o dinheiro só é útil se a pessoa souber utilizá-lo em prol da sociedade. Segundo ela, essa é a diferença entre os "endinheirados", que só pensam em dinheiro e humilham as demais pessoas, e os ricos, que contribuem com a comunidade de alguma forma com o seu trabalho. 

Leia esta notícia na íntegra em nossa edição digital para assinantes
LINK CURTO: http://tinyurl.com/ya89s3u7