Grupo Água de Vintém é um dos destaques da nova geração do estilo

Chorinho, por Água de Vintém

Grupo piracicabano traz a Araçatuba e Birigui os clássicos do choro

"O brasileiro quando é do choro / É entusiasmado quando cai no samba / Não fica abafado e é um desacato / Quando chega no salão". Brasileirinho é uma das mais populares (se não a mais) canções de chorinho do país. O ritmo, que nasceu no fim do século 19 no Rio de Janeiro, é um dos principais ritmos nacionais e conquista qualquer um que carregue o sangue latino.

Mantendo vivo esse ritmo tipicamente brasileiro, o grupo Água de Vintém é um dos destaques da nova geração do estilo. O conjunto traz na bagagem dois discos lançados, um expressivo currículo de shows nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Santa Catarina e participações em eventos de grande relevância.

O conjunto piracicabano traz ao público da região de Birigui um panorama completo do universo do choro. Nesta quarta (17) e na quinta-feira (18), realiza, respectivamente em Birigui e Araçatuba, dois shows gratuitos, com composições inéditas, obras pouco divulgadas de alguns dos maiores nomes do gênero e clássicos eternos.

A primeira apresentação, nesta quinta, acontece às 19h, na Área de Convivência do Sesc Birigui, e a segunda, na sexta, será realizada às 20h30, na Praça João Pessoa, em Araçatuba (em caso de intempéries, o show poderá ser transferido para o Pólo Avançado de Araçatuba). O grupo é Formado por Vitor Casagrande (bandolim), Saulo Ligo (cavaco), Guilherme Girardi (violão), Marcus Godoy (violão de 7 cordas) e Xeina Barros (pandeiro).

O disco de estreia, “Café da Dona Chica” (2013/Acari Records), tem 12 faixas, sendo que 11 são composições autorais. O segundo disco, “Água de Vintém interpreta Sérgio Belluco” (2015), resgata a obra de um importante compositor e violonista piracicabano. Além disso, o conjunto já gravou o programa “Talentos”, da TV Câmara, e dividiu o palco com nomes como Toninho Carrasqueira, Cristóvão Bastos, Déo Rian, Pedro Amorim, Alessandro Penezzi, Nailor Proveta, Toninho Ferragutti, Izaías do Bandolim, Celsinho Silva e Ronaldo do Bandolim.

Com muito balanço, refinamento e a sonoridade autêntica regional, o conjunto leva ao público um panorama completo do universo do choro: composições inéditas, obras pouco divulgadas dos maiores nomes do gênero e clássicos imortais que nunca saem de moda.

GRUPO
"O grupo surgiu no final de 2010, em Piracicaba. Atualmente, eu e mais um integrante residimos em São Paulo, mas o centro do grupo continua sendo a cidade de origem", conta Vitor Casagrande. Ele ainda diz que o grupo se reunia inicialmente para desenvolver o choro e que a partir de então, deram início a banda.

"Eu e Guilherme éramos alunos de Tatuí, então resolvemos colocar isso em prática com o grupo", finaliza. O Água de Vintém toca exclusivamente canções de choro. Sobre as influências que o grupo carrega, Casagrande revela: "basicamente duas bandas são referência para nós: Época de Ouro, de Jacob Bandolim e o Regional do Canhoto".

Para os shows nas duas cidades da região, o grupo promete que trará um apanhado geral do repertório de choro nacional. "Vamos tocar músicas autorais novas, além de uma homenagem ao Jacob Bandolim", revela.

Ele, que já se apresentou na região na inauguração da unidade do Sesc Birigui, adianta que o grupo tem boas expectativas e torce para que os admiradores estejam presentes nas duas apresentações. "Temos um repertório comunicativo, que cativa o público por onde a gente passa", finaliza.

HISTÓRIA
O choro, popularmente chamado de chorinho, é um gênero de música popular e instrumental brasileira, que surgiu no Rio de Janeiro em meados do século 19. O estilo pode ser considerado como a primeira música urbana tipicamente brasileira e que, ao longo dos anos, transformou-se em um dos gêneros mais prestigiados da música popular nacional, reconhecido em excelência e requinte. Dentre suas origens, o lundu, ritmo de inspiração africana à base de percussão, com gêneros europeus dão o tão do estilo.

Entre os grandes músicos ligados ao choro estão Luiz Americano, Severino Araújo, Waldir Azevedo, Jacob do Bandolim, Garoto e Radamés Gnattali. Na atualidade, segundo Casagrande, existe um aumento no número de jovens tocando choro. "Graças à Escola Portátil de Música, no Rio de Janeiro e o Conservatório de Tatuí, existe um crescente grupo de jovens de choro se desenvolvendo e ampliando as fronteiras do estilo", frisa. "O choro não está na grande mídia, mas toda cidade tem um núcleo que aprecia e toca", finaliza.

SERVIÇO
Show com o grupo Água de Vintém
- Dia 17, quarta, 19h. Área de Convivência do Sesc Birigui (Rua Manoel Domingos Ventura, 121, na Vila Xavier) - Birigui.
- Dia 18, quinta, 20h30. Praça João Pessoa - Araçatuba.
Grátis. Livre.
Informações: (18) 3649-4786

LINK CURTO: http://folha.fr/1.384519

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook