Equipe com 40 agentes de combate a endemias e quatro supervisores percorrerá as casas

Birigui retoma arrastões emergenciais contra a dengue

Os arrastões emergenciais de prevenção e combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela estão de volta a partir desta segunda-feira (14), em Birigui. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde local, a medida foi tomada porque o segundo Liraa (Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti) realizado no município no mês passado apontou 6,9%.

Em comparação com o índice de janeiro, que foi de 10,2%, houve redução de 3,3%, mas deixa a cidade em situação de alerta para um possível surto das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, pois está muito acima do recomendado pela OMS (Organização Mundial da Saúde), de até 1%.

O arrastão terá início nos bairros Cidade Jardim e Vila Bandeirantes, que concentram os maiores focos de larvas. Equipe com 40 agentes de combate a endemias e quatro supervisores percorrerá as casas, estabelecimentos comerciais e terrenos baldios recolhendo materiais que podem acumular água e conscientizando moradores. A ação também terá participação dos agentes comunitários de saúde, que intensificarão as visitas aos imóveis encontrados com larvas do mosquito durante o segundo Liraa.

A secretaria vai reforçar o monitoramento regular em escolas, hospitais, ferros-velhos, borracharias, e a equipe do IEC (Informação, Educação e Comunicação) manterá os trabalhos educativos nas escolas, alertando as crianças sobre os perigos da dengue e das outras doenças.

LIRAA
O segundo Liraa do ano, em Birigui, foi realizado entre 2 e 14 de abril. Os agentes de combate a endemias vistoriaram 2.488 imóveis da cidade e encontraram 181 criadouros com larvas em bebedouros de animais, ralos internos e externos, vasos de plantas, latas, frascos, plásticos, pneus, lonas e até mesmo em brinquedos.

Os bairros da área 2 concentram a maior infestação, com índice de 9,35% (Cidade Jardim, Vila Bandeirantes, Bosque da Saúde, Vila Xavier, Jandaia 2 e Pinheiros). Os bairros da área 4 estão na sequência, com índice de 7,39% (Quemil, Silvares, Recanto Verde, Portal da Pérola 1 e 2, Santo Antônio e Jardim Aeroporto).

A área 1 (bairros Monte Líbano, João Crevelaro, Ivone Alves Palma, Copacabana, Alto do Silvares, Cohab 3, São Braz e Thereza Maria Barbieri) teve índice 5,34%, enquanto a área 3 (bairros Distrito Industrial, Novo Parque São Vicente, Isabel Marin, Jardim do Trevo e Vale do Sol) obteve resultado de 4,57%.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.404162

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook