Bonilha: “Eles ficam brigando lá em cima e nós temos perdas no FPM”

Aumento da população faz Bonilha investir em casas

Prefeito de Brejo Alegre pretende atrair empresas ao município

Após a chegada de uma usina de cana de açúcar ao município, Brejo Alegre vem assistindo a sua população aumentar significativamente de tamanho. Segundo o prefeito Adriano Marcelo Bonilha (PV), estão sendo feitos loteamentos, um condomínio já conta com 185 e estão sendo construídas 101 casas populares em parceria com o governo do Estado. 

Para Bonilha, a população da cidade deverá dobrar até o fim de seu segundo mandato, o que tende a aumentar as demandas e impor desafios ao seu governo, sem que os recursos aumentem para fazer frente a eles. Conforme ele, a questão da moradia, que ele teve que encarar no começo do seu primeiro mandato, em 2012, está sendo superada. 

O chefe do Executivo disse que fez diversos cortes para poder fazer frente à queda de arrecadação, que em sua opinião não tem precedentes na história do País. Além disso, Bonilha tem planos de regularizar uma área para atraiu empresas ao município. 
Confira entrevista que Bonilha concedeu à Folha da Região:
    
Como foram os seis primeiros meses deste seu segundo mandato?
Com toda a dificuldade que está havendo na região, graças a Deus a gente vem mantendo a postura, com os pés no chão, dando continuidade ao nosso trabalho, junto com os vereadores. Estamos com todas as nossas contas em dia e construindo. Agora, estamos terminando a construção de 101 casas e uma delegacia. Fizemos uma rotatória na cidade. Isso tudo foi feito neste ano. 
    
O município sofre com baixa arrecadação?
A arrecadação caiu muito. Não tem nem data para comparar. Hoje, estão tirando (recursos) da saúde e da educação e deixando tudo para os municípios. Fica difícil, principalmente para as cidades pequenas, que não têm arrecadação boa. Mas a gente vem trabalhando junto com o setor de licitações; a população está sendo bem atendida. Nós continuamos com a mesma qualidade de atendimento, mesmo com toda dificuldade. 
    
O senhor tem feito cortes para poder ajudar na economia?
Os cortes que nós tínhamos que fazer, já fizemos. Não tem mais onde cortar. Onde a gente podia economizar, nós economizamos. Não estamos fazendo dívidas. É tudo à vista. Nós só compramos se tivermos dinheiro. Com essas iniciativas, a gente está vendo o resultado: o município continua girando da mesma forma. Não deve nada para ninguém e tem caixa. A nossa folha de pagamento está em 47% (o limite é 54%, segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal). Não tenho muito do que reclamar. As dificuldades que teríamos, eu já sabia que iriam acontecer. Toda esta crise política no País acaba refletindo nos municípios, que ficam abandonados. Eles ficam brigando lá em cima e hoje nós temos perdas no FPM (Fundo de Participação dos Municípios) e na arrecadação. 
    
Qual é o maior desafio neste segundo mandato?
É uma coisa que estou conseguindo resolver: a habitação. Quando iniciei meu governo, com a chegada de uma usina, os aluguéis e os terrenos ficaram muito caros para a população adquirir. Junto com o governo do Estado de São Paulo e muito trabalho, consegui a construção de 101 casas. Foi um desafio que eu e toda a população de Brejo Alegre vivenciamos. 
    
Tem alguma área que o senhor pretende priorizar no seu segundo mandato?
Hoje, eu priorizo a saúde e a educação, que são as coisas essenciais em nosso município, além da moradia.
    
O senhor tem algum plano para trazer empresas ao município?
Temos um terreno aqui, de aproximadamente 12 mil metros quadrados. Vamos, junto com a Câmara, ver como a gente pode fazer a doação ou o comodato desse terreno para a vinda de empresas. 
    
Qual é o seu relacionamento atual com a Câmara?
Eu só tenho a agradecer aos nove vereadores. São parceiros de verdade. Com toda a dificuldade que a gente vem passando, eles não deixaram a gente na mão. Sempre estão trabalhando junto ao município. 
    
Como o senhor trata a questão da ética em seu governo?
Eu acho que a política sempre deve ser transparente. Hoje, a gente tem o Portal da Transparência, no qual as pessoas podem ter o conhecimento de tudo o que se vai licitar ou comprar. O acesso é liberado. Eu acho que essa parte de escândalos vai da pessoa. Quem é certo, é certo. Quem é errado, é errado. Quem entra com intenções de praticar coisas erradas, já é complicado. Eu, graças a Deus, vou para o meu segundo mandato e não tenho um apontamento que seja pelo TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) e nem ação contra mim pelo Ministério Público. 
    
Como o senhor pretende ver Brejo Alegre quando encerrar o seu mandato?
Hoje, tudo leva para que o nosso município dobre a quantidade de habitantes. Estão saindo loteamentos, 101 casas da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo) e tem um condomínio com quase 185 casas. Vai dobrar a população e vai dificultar o nosso mandato. Aumentam as demandas, mas o recurso é o mesmo. Sou muito grato à usina que nós temos, que ajuda a melhorar a qualidade de vida da nossa população.

VEJA AQUI TODAS AS REPORTAGENS DA SÉRIE
'SUA CIDADE EM DISCUSSÃO'
LINK CURTO: http://tinyurl.com/y8nozkzg

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook