Após briga, mulher mata marido, foge e liga para a polícia

Uma aposentada de 47 anos foi detida após ligar para a polícia e confessar que matou o marido, o motorista Jair Donzelli, de 55 anos, durante uma briga que teria ocorrido na noite da última quarta-feira (15), em Luiziânia (a 75 km de Araçatuba). O caso só foi descoberto na madrugada deste sábado (18), quando ela ligou para o 190 e contou o crime.

De acordo com o boletim de ocorrência, uma equipe da Polícia Militar fazia patrulhamento pela cidade, quando recebeu a informação de que uma mulher estava pelo Jardim Eldorado e era acusada de matar o marido em Luziânia. Chegando ao local, os PMs encontraram a aposentada, que confessou o crime.

BRIGAS
Ela disse aos militares que frequentemente era agredida por Donzelli e que, na noite de quarta-feira, estava na residência quando a vítima chegou e passou a agredi-la com socos e chutes, além de segurá-la pelo pescoço. A aposentada fingiu ter desmaiado para que o motorista parasse com as agressões.

Neste momento, ela teria se aproveitado e dado um chute no órgão genital de Donzelli. Em seguida, ela foi até a cozinha, onde se apoderou de uma faca e passou a golpear o marido, fazendo com que ele caísse ferido no chão. A aposentada contou que, depois disso, saiu do imóvel e pegou carona até Penápolis, onde andou por algumas horas pelas ruas, até ir para a casa de uma prima, já na sexta-feira (16).

CORPO
A mulher disse aos policiais que não se lembrava onde havia deixado a faca, já que teria ficado bastante confusa após o crime. A equipe foi até Luiziânia, encontrando o corpo do motorista em estado de rigidez cadavérica. A aposentada foi levada ao plantão policial para prestar esclarecimentos. Após ser ouvida, ela foi liberada, já que não houve flagrante. O corpo de Donzelli foi levado ao IML (Instituto Médico Legal) e, após passar por exames, liberado aos familiares para sepultamento.

CARRO
Em janeiro de 2016, a mulher foi detida em Penápolis, acusada de incendiar o carro do marido. O caso ocorreu no bairro Cidade Jardim. Na época, conforme a polícia, o motivo seria a recusa do homem em comprar uma cerveja para a esposa. O aposentado estava em um bar, quando a mulher chegou e pediu para ele a bebida.

No entanto, Donzelli se recusou a comprar e teria orientado o dono do estabelecimento a fazer o mesmo. Instantes depois, ela foi embora e o Gol da vítima começou a pegar fogo. O veículo ficou totalmente danificado. O Corpo de Bombeiros foi chamado e conteve as chamas. A PM também esteve no local e levou o casal para a delegacia. Na época, a mulher negou que tivesse incendiado o automóvel. Ela foi ouvida e liberada.

Últimas de Região