Advogado vai para prisão domiciliar

Preso ao ir na delegacia

Atendendo pedido da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), a Justiça concedeu o direito a prisão domiciliar ao advogado de 69 anos, morador de Andradina, preso na semana passada em Castilho. Até esta quinta-feira (19), ele era mantido em uma cela especial na penitenciária de Caiuá. 

O caso tramita em segredo de Justiça, mas a reportagem apurou que ele é acusado de coação no curso de processo no caso que investiga a morte do comerciante Joaquin Cândido da Silva, 78, ocorrida em janeiro deste ano, no bairro Nova Iorque, em Castilho.

A polícia entende que houve latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Após vizinhos ouvirem gritos, a vítima foi encontrada pela polícia apenas de cueca e com uma cinta enrolada ao pescoço. Na casa dela também funcionava uma mini-padaria, que estava toda revirada. Foi roubado um televisor e dinheiro do caixa.

Durante a investigação, duas pessoas foram presas acusadas participação no crime e outros dois suspeitos detidos, acusados de ameaçar testemunhas. Em depoimento, eles informaram que o advogado dava as informações referentes às testemunhas para serem ameaçadas. O advogado foi preso ao ir à delegacia. (Colaborou Roni Willer).

LINK CURTO: http://folha.fr/1.400399

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook