Advogado é preso por coação

A Polícia Civil de Castilho prendeu no início da tarde desta sexta-feira (13) um advogado de 69 anos, em cumprimento a mandado de prisão preventiva contra ele expedido pela Justiça de Andradina.

O caso corre em segredo de Justiça, porém, a reportagem apurou que a decisão está relacionada a processo referente à morte do comerciante Joaquim Cândido da Silva, 78, ocorrida em janeiro, no bairro Nova Iorque, em Castilho. Segundo informações levantadas, o advogado é acusado de coação no curso do processo.

O caso é investigado como latrocínio, que é o roubo seguido de morte, pois a vítima teria sido assassinada durante assalto à casa dela. Após denúncia de vizinhos, que ouviram gritos, a polícia encontrou a porta da sala da casa dele arrombada. Silva foi encontrado apenas de cueca e com uma cinta enrolada ao pescoço. A mini-padaria que funcionava no mesmo terreno estava toda revirada e foram roubados um televisor e dinheiro do caixa.

Duas pessoas foram presas durante a investigação, acusadas de participação no crime. O advogado preso nesta sexta-feira teria tido acesso a informações referentes a testemunhas, que passaram a ser ameaçadas. Tais represálias foram descobertas depois que a Polícia Militar prendeu dois suspeitos de fazer as ameaças, que denunciaram o advogado como fonte das informações referentes às testemunhas.

O acusado foi preso ao comparecer à delegacia para tratar do inquérito. Por determinação da Justiça, ele seria levado para o Batalhão da Polícia Militar. O presidente da subsede da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Andradina, Betreil Chagas Filho, acompanhou o cumprimento do mandado de prisão.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.399498

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook