O porco que teria invadido propriedade do vizinho para cruzar com porca, que acabou morrendo

Acasalamento de porcos seguido de morte acaba na Justiça

A Justiça de Andradina determinou que um produtor rural de Nova Independência pague meio salário mínimo a uma instituição de caridade pela morte de uma porca, provocada por atividade sexual excessiva por parte de um porco de sua propriedade.

Conforme a determinação judicial, homologada durante audiência no Fórum de Andradina na tarde desta segunda-feira (12), o agricultor Devaldo Alves, 58 anos, falhou na questão da cautela do animal ao deixá-lo ir até o chiqueiro do vizinho, o que é considerada uma contravenção penal. A transação penal foi proposta pelo Ministério Público e homologada pelo juiz diretor do Juizado Especial Criminal de Andradina, Leandro Augusto Gonçalves Santos.

O advogado de defesa de Devaldo, Gilvaine Ortuzal, ressalta que este foi um dos casos mais inusitados dos quais já atendeu. "Apesar de parecer uma piada o caso deve ser encarado com seriedade e até de forma educativa, pois independente do animal, seja ele um cachorro, porco, ou qualquer outro, somos responsáveis pelos seus atos. Meu cliente ficou satisfeito pelo resultado, pois apesar de tudo, acabou ajudando uma instituição que cuida de crianças carentes, ainda mais nesta época de Natal", finalizou.