Objetos apreendidos pela polícia durante a operação

Padre é alvo em operação contra pedofilia

Preservativos foram encontrados na casa dele

O padre aposentado Manoel Bezerra de Lima, 66 anos, de Guapiaçu (a 176 km de Araçatuba), foi preso na tarde desta quinta-feira (30), em sua casa, no condomínio Monte Carlo, por armazenar imagens de menores em ato sexual no celular e em CDs. Na casa dele, segundo a polícia, foram apreendidos itens como preservativos, gel lubrificante e até uma peça íntima feminina. Também foram encontradas na casa dezenas de carteirinhas esportivas de menores de idade.

A Polícia Civil estabeleceu fiança de R$ 3 mil, que foi paga pelo padre na noite de quinta, após o depoimento. Ele vai responder ao processo em liberdade.

INVESTIGAÇÃO
O padre passou a ser investigado há 30 dias, a pedido do juiz da Vara da Infância e Juventude de Rio Preto, Evandro Pelarin, que foi procurado pela mãe de um adolescente de Guapiaçu. Ela passou a suspeitar que o filho de 17 anos mantinha um relacionamento com o sacerdote, porque o jovem chegava a ficar até dez dias morando na casa do religioso, sem retornar para a família.

Para investigar a denúncia, o promotor da Infância e da Juventude André Luis Sousa determinou a realização de diligências por Guapiaçu, onde foram encontrados mais relatos de menores que frequentavam constantemente a casa do padre no condomínio.

Com base nessas informações, Pelarin emitiu um mandado de busca e apreensão na casa do padre, que foi cumprido nesta quinta-feira. Coordenados pelo delegado seccional José Mauro Venturelli, policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE) vasculharam por sete horas computador, celular e arquivos eletrônicos do padre.

PORNÔ
"Encontramos fitas de vídeo pornô, muitas camisinhas, gel lubricante e até uma peça íntima de mulher. O padre negou ser pedófilo e disse que todo material encontrado pode ter sido abandonado na casa dele por algum adolescente", disse o seccional.

Também foram encontradas imagens pornográficas armazenadas no celular do padre e em CDs com menores em pleno ato sexual, mas o padre não aparece nas imagens, segundo a polícia. Em um vídeo, sem conteúdo sexual, ele aparece conversando com o filho da mulher que fez a denúncia. "Que a casa do padre era muito frequentada por adolescentes era de conhecimento de todos os moradores do condomínio," diz o delegado.

AFASTADO
Segundo Venturelli, o padre disse estar afastado de suas funções religiosas desde o dia 16 de novembro, por determinação do bispo Dom Tomé Ferreira da Silva, também por suspeita de pedofilia. 

Em depoimento na Delegacia de Guapiaçu, o padre alegou que as dezenas de carteirinhas de menores encontradas em sua casa são de um time mirim de futebol, mantido por ele em Cedral, mas a existência da equipe ainda será checada pela polícia.

CONSELHEIRO TUTELAR
Por muitos anos, Manoel foi sacerdote na Igreja de São Sebastião, em Guapiaçu. Ele também já atuou como conselheiro tutelar em Cedral (a 171 km de Araçatuba). Nos últimos anos, ele estava fazendo apenas celebrações eucarísticas, nas manhãs de domingo, em uma capela construída no condomínio onde mora. Também eventualmente ele fazia missas em Guapiaçu.

Outro padre, também da região, está sendo investigado pelo crime de pedofilia, a pedido da Vara da Infância e da Juventude. O nome dele não foi divulgado.


Bispo não se manifesta 

Por meio de nota, o Bispado de Rio Preto informou que a diocese foi informada pela imprensa da operação policial que prendeu o padre Manoel Bezerra de Lima, por isso não tinha informações do caso e iria aguardar o desenrolar dos acontecimentos para se manifestar.

O bispo Dom Tomé Ferreira da Silva foi procurado pelo Diário para falar sobre o assunto, mas não atendeu ao pedido de entrevista nesta quinta-feira.

A cúria não confirmou se o padre é alvo de investigação interna e está afastado das funções religiosas por suspeita de pedofilia. No site do bispado, a informação mantida até a noite de quinta-feira era de que o padre era vigário paroquial da Paróquia de São Sebastião, em Guapiaçu, mas sua foto não era divulgada.

Informada sobre a prisão do padre, a Arquidiocese de Ribeirão Preto, a quem o Bispado de Rio Preto é subordinado, informou que vai acompanhar o caso.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.376404

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook