Casal suspeito de matar comerciante por ciúmes se entrega à polícia

Justiça havia decretado a prisão temporária

O casal suspeito de assassinar e incendiar o corpo da comerciante Núbia Duarte, de 21 anos, apresentou-se nesta quinta-feira, 28, à Polícia Civil, em Franca, no interior de São Paulo. Os suspeitos, Leonardo Gonçalves Cantieri, ex-namorado da vítima, e Lauany Viodres do Prado, sua atual namorada, ambos de 20 anos, estavam acompanhados por um advogado. No fim da tarde, eles ainda eram ouvidos e, após os depoimentos, eles seriam presos. No dia anterior, a Justiça havia decretado a prisão temporária do casal, acatando pedido da polícia.

Durante a tarde, um grupo de pessoas se aglomerou em frente ao prédio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), onde os suspeitos prestavam depoimento, acompanhados pelo advogado José Antonio Abdala. Ele disse apenas que o casal estava "abalado" e que falaria com a imprensa somente após o encerramento do inquérito. A segurança do prédio foi reforçada.

De acordo com o delegado Márcio Garcia Murari, a investigação apurou que, após terminar o namoro com a comerciante, Leonardo passou a namorar Lauany. No entanto, ele voltava a procurar a ex eventualmente, gerando ciúme da namorada. Pressionado por ela, Leonardo marcou um encontro com Núbia, conforme a jovem revelou em conversas com amigas recuperadas pela polícia. Ela chegou a dizer que estava "cabreira" (com medo) de se encontrar com o ex.

Câmeras de segurança mostraram quando Núbia deixou seu carro e entrou no veículo do ex-namorado, que arranca. Lauany estava escondida no porta-malas. O corpo da comerciante foi encontrado na margem de uma rodovia, com perfurações à faca e parcialmente queimado.

Ainda segundo o delegado, Leonardo pediu a um amigo que levasse o carro de Núbia para um local distante. O rapaz, que já era procurado por tráfico e está preso, foi flagrado por câmeras ao volante do veículo e acabou "entregando" o ex-namorado de Núbia. Ele contou ter sido orientado a pôr fogo na bolsa da jovem, que havia ficado no carro.

A comerciante Tânia Ribeiro, mãe de Núbia, postou em rede social a dor pela perda da filha.

"A dor que eu sinto não tem medida, tamanho, nem intensidade. Minha vida se resumia a amá-la. Ela não gostava de tristeza, não gostava de histórias tristes, ela gostava de alegria, de diversão, de festa... o céu está em festa com a presença dela lá."

Nesta quinta, a página tinha 57 mil visualizações e centenas de mensagens de pesar. Amigos da jovem farão manifestação com pedido de justiça e paz, neste sábado, 30, na Concha Acústica de Franca.

Feminicídio em Tupã

A Polícia Militar prendeu na noite desta quarta-feira, 27, o fisicultor Ailton Basílio, de 37 anos, acusado de matar a facadas sua ex-mulher, a bancária Débora Goulart, de 34, no dia 22 de agosto, em Tupã, interior de São Paulo.

Basílio estava foragido e foi preso após ser flagrado pelas câmeras do Aeroporto de Foz do Iguaçu, no Paraná, embarcando em um voo para o Rio de Janeiro. O suspeito foi localizado em Teresópolis, naquele Estado, onde está preso. Ele deve ser transferido para Tupã na noite desta quinta-feira.

Ailton e Débora eram casados havia dez anos, após ela pedir o divórcio o marido passou a agir com violência. A bancária chegou a registrar boletim de ocorrência contra ele por violência doméstica.

No dia do crime, o suspeito buscou Débora no trabalho e ela não foi mais vista. A polícia encontrou a jovem morta a facadas em sua casa. As digitais encontradas na arma eram do ex-marido. Câmeras flagraram o homem fugindo com o carro da vítima.

O veículo foi abandonado em Maringá, no Paraná, de onde ele seguiu de táxi para Foz do Iguaçu. Todos os passos do suspeito foram monitorados pela polícia, até sua prisão.
LINK CURTO: http://folha.fr/1.364740

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook