João Miguel deverá será o número 3 na sua categoria; nos detalhes, com Guga (esq.) e seu técnico, Rodrigo Perri

João Miguel, 11, desponta como talento do tênis

Araçatubense leva título de duas edições do Circuito Nacional

Atleta da Tennis Pro Araçatuba, João Miguel Santana Rodrigues de Oliveira já era considerado uma das principais promessas do tênis da cidade. No dia 21 do mês passado, comprovou de vez essa condição ao faturar o título de sua categoria (11 anos) no 2° Circuito Nacional de Tênis, em Florianópolis. A conquista veio após a vitória na final, por 2 sets a 0, com um duplo 6-4, sobre Stephan Noale, de São Bernardo do Campo. 

Curiosamente, campeão e vice do torneio de simples jogaram juntos na disputa de duplas e chegaram à decisão, mas foram derrotados por Luca Acioly e Bruno Varella na final disputada com set único: 8/6. O araçatubense também já havia faturado o título no 1° Circuito Nacional de Tênis, realizado em Curitiba, em março, o que lhe de a condição de campeão nos dois únicos campeonatos realizados pela Confederação Brasileira de Tênis (CBT) em 2017, pela categoria 11. 

Ainda este ano, serão disputados mais três circuitos. Entretanto, João Miguel já voltará à quadra na próxima quinta-feira, diz em que começa a seletiva do Circuito Nacional, em Mogi das Cruzes. Embora já esteja classificado para a próxima etapa, eaxtamente por ser campeão das duas edições deste ano, ele participará do torneio para manter o ritmo. 

A terceira etapa do Circuito Nacional será realizada em julho, em Uberlândia, em data a ser ainda definida pela CBT. João Miguel, que deve figurar no top 3 do ranking nacional de sua categoria, o que seria histórico para o esporte na cidade, é um provável cabeça-de-chave. 

TEMPORADA
O sucesso neste primeiro semestre de 2017 não foi por acaso. O garoto já havia feito uma excelente temporada no ano passado, quando chegou a ser o primeiro colocado do ranking da Federação Paulista de Tênis (FPT), categoria até 10 anos (bolas verdes, 25% mais lentas e quadra reduzida. A partir deste ano é que ele começou a jogar com a tradicional bolinha amarela, a mesma utilizada pelos profissionais. 

Talentoso desde suas primeiras raquetadas, João Miguel foi vice-campeão brasileiro logo em seu primeiro ano de competições, na categoria 9 anos, com a bola laranja (50% mais lentas). Nesta época, eram "apenas" 90 minutos de treinos por semana, enquanto, hoje, o garoto chega a bater bola por ao menos três horas diárias. 

"Minha filha mais velha já jogava, e então, desde os 4 anos, o João acompanhava a irmã na quadra. Mas o maior interesse começou quando ele completou 8 anos. A gente fica realizada e incentiva, mas desde que ele siga cumprindo a rotina da escola. O esporte é saudável, a criança fica mais disciplinada", diz orgulhosa, a mãe de João Miguel, Simone Santana de Oliveira. 

Eliminado nas quartas de final da Copa Guga Kuerten no ano passado, João Miguel espera chegar mais longe na edição deste ano, em outubro. O torneio é internacional e não conta só com a participação de brasileiros. "Em média, ele tem disputado um torneio por mês. Em 2017, serão oito torneios, incluindo a Copa Guga, que é uma disputa muito difícil, com nível internacional, e em que o João foi muito bem no ano passado", ressalta Simone.

LINK CURTO: http://tinyurl.com/yc8epcl3

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook