Botafogo vence e Corinthians vê rivais se aproximando da liderança

Brenner e Igor Rabelo fizeram a alegria de botafoguenses, palmeirenses e santistas nesta segunda-feira. Com gols da dupla, o Botafogo venceu o Corinthians por 2 a 1, no Engenhão, voltou ao G6 e ajudou a dar um pouco de emoção para a disputa do título do Campeonato Brasileiro. O time de Fábio Carille vê a diferença para os vice-líderes cair para apenas seis pontos.

Com o resultado, o Corinthians se manteve com 59 pontos, enquanto Palmeiras e Santos, que venceram seus jogos no final de semana, estão com 53 pontos. E na semana que vem, o time alviverde, que esta à frente pelo número de vitórias, tem um confronto direto contra o líder, no Itaquerão. Já o Botafogo chegou aos 47 pontos e ocupa a sexta posição.

O Corinthians foi a campo com novidade na escalação. O técnico Fábio Carille decidiu colocar Marquinhos Gabriel no lugar de Romero, com o objetivo de aumentar as jogadas pela linha de fundo, mas não foi bem o que se viu em campo.

O time alvinegro perdeu força na marcação em seu lado esquerdo e foi justamente por lá que o Botafogo chegou e criou boas oportunidades de gol. Com Guilherme Arana sobrecarregado na marcação, Arnaldo e, principalmente, Bruno Silva aproveitaram o espaço e chegaram em diversas situações até a linha de fundo.

Apesar do domínio territorial do Botafogo em boa parte do primeiro tempo, quem teve a primeira oportunidade de abrir o placar foi o Corinthians e, justamente, com Marquinhos Gabriel. Em uma das raras vezes em que ele tentou uma jogada centralizada, arriscou um forte chute de fora da área e carimbou a trave do goleiro Gatito.

A resposta do Botafogo aconteceu logo depois, em rápido contra-ataque, que Rodrigo Pimpão saiu em velocidade e de frente para o gol. Só não abriu o placar porque no momento do chute, foi travado por Balbuena. A equipe carioca ainda teve mais uma oportunidades com Victor Luis, que mais uma vez deu trabalho para o goleiro Cássio.

No segundo tempo, as duas equipes saíram mais para o ataque e os espaços aumentaram. E mais uma vez, Carille substituiu Jadson, que deu lugar a Romero. É o sétimo jogo seguido que o meia é substituído, sendo o terceiro no intervalo.

O treinador tentou dar maior criatividade ao time, mas as falhas de posicionamento da defesa continuaram. E assim, o Botafogo abriu o placar aos 7 minutos, quando Rodrigo Pimpão desviou cobrança de escanteio e Brenner, livre, só teve o trabalho de empurrar para as redes. Gol do Botafogo e, indiretamente, do Palmeiras e do Santos.

Sete minutos depois, um balde de água fria para os torcedores dos três times. Arana tocou para Jô, que na frente da área, bateu fraco, mas o suficiente para passar por Gatito e deixar tudo igual. A diferença para o segundo colocado voltava a ser de sete pontos.

Com o jogo tão aberto, o Botafogo partiu para cima e mais uma vez contou com a bola parada para voltar a ficar na frente. Aos 30, Igor Rabelo subiu mais que Rodriguinho e desviou de cabeça, sem chances para Cássio. De novo, alegria de botafoguenses, palmeirenses e santistas.

O segundo gol fez o Corinthians partir com tudo para cima. O time claramente não se importou em se abrir ainda mais, já que, naquela circunstância, perder por um ou dois gols não faria tanta diferença. Nos minutos finais, Carille ainda colocou Kazim no lugar de Marquinhos Gabriel, para apostar tudo em uma bola cruzada para a área, justamente como saiu os dois gols do Botafogo.

No último minuto de jogo, Igor Rabelo caiu dentro da área com Jô e os corintianos reclamaram bastante da não marcação de um pênalti. Mas já era tarde. O Botafogo garantiu a alegria de muita gente. Ao final da partida, os jogadores das duas equipes discutiram no meio do gramado.


FICHA TÉCNICA:

BOTAFOGO 2 X 1 CORINTHIANS

BOTAFOGO - Gatito Fernández; Arnaldo, Igor Rabello, Joel Carli e Victor Luis; Rodrigo Lindoso, Bruno Silva, João Paulo e Marcos Vinicius (Leonardo Valencia) e Rodrigo Pimpão (Guilherme); Brenner (Gilson). Técnico: Jair Ventura.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Pedro Henrique, Balbuena e Guilherme Arana; Gabriel (Clayson), Maycon, Jadson (Romero), Rodriguinho e Marquinhos Gabriel (Kazim); Jô. Técnico: Fábio Carille.

GOLS - Brenner, aos 7, Jô, aos 14, e Igor Rabelo, aos 30 minutos do segundo tempo,

CARTÕES AMARELOS - Rodrigo Pimpão, Gabriel, Marcos Vinícius, Rodrigo Lindoso e Jô.

PÚBLICO - 7.566 pagantes.

RENDA - R$ 224.725,00.

ÁRBITRO - Rodrigo Batista Raposo (DF).

LOCAL - Estádio Engenhão, no Rio (RJ).
LINK CURTO: http://folha.fr/1.369292