Se Previdência chegar ao Senado, poderá não ter tramitação fácil, diz Eunício

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), sinalizou na manhã desta quinta-feira, 8, em entrevista à Rádio Eldorado, que se o governo conseguir aprovar a reforma da Previdência no plenário da Câmara dos Deputados, a tramitação do projeto poderá não ser tão fácil assim no Senado Federal. Eunício evitou falar em prazo, apesar de o governo querer a proposta aprovada o mais rápido possível, e não garantiu que, se Temer conseguir os 308 votos necessários para a medida avançar na Câmara, ela poderia ser aprovada no Senado antes das eleições gerais de outubro deste ano.

O senador fez questão de frisar que o parlamento brasileiro é bicameral e, portanto, uma Casa não tem necessariamente que aprovar a toque de caixa o que a outra deliberar. E falou de uma reclamação comum de seus pares, que têm de lidar com matérias que chegam da Câmara com várias emendas. "Se a reforma da Previdência tiver emenda e chegar ao Senado, volta para a Câmara", exemplificou, emendando: "Não significa que se a Câmara resolver, Senado tem de resolver no dia seguinte." E lembrou que a Câmara está há anos discutindo a reforma previdenciária e outros temas que não avançam.

Apesar das dificuldades com a reforma da Previdência, o presidente do Senado diz que essa é uma iniciativa que tem de sair, até mesmo para dar uma resposta à sociedade brasileira. Mas, voltou às críticas dizendo que a área econômica enviou a proposta ao Congresso Nacional com mais de "200 penduricalhos" e as negociações já se arrastam por muito tempo. E destacou que a maneira dela ter uma tramitação mais fácil na Casa, desde que passe pela Câmara, é se o projeto acabar com os privilégios e não retirar os direitos já adquiridos dos menos favorecidos.

Segurança Pública

Na entrevista à Eldorado, Eunício falou da importância em se dar prioridade no parlamento à pauta da segurança pública. "Quando o Congresso decide fazer as coisas, faz", destacou, dizendo que já foram aprovadas medidas importantes na volta do recesso, como a obrigatoriedade de uso de bloqueadores de celulares nos presídios.
LINK CURTO: http://folha.fr/1.388190

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook