Galvão (esq.), que pilotava o helicóptero, morreu no local; Lia Maria chegou a ser socorrida com vida

Queda de helicóptero usado pela Globo deixa dois mortos e um ferido em estado grave

Um helicóptero que prestava serviços para a TV Globo Nordeste, em Pernambuco, caiu na manhã desta terça-feira, 23, no mar da praia do bairro do Pina, na Zona Sul do Recife (PE). De acordo com o Corpo de Bombeiros e da própria empresa, duas mortes foram confirmadas e um homem foi levado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) ao Hospital da Restauração, onde passa por procedimentos.

O helicóptero era pilotado pelo comandante Daniel Galvão, que morreu no local. Também estavam a bordo a primeiro-sargento da Aeronáutica Lia Maria Abreu de Souza, que chegou a ser socorrida, mas faleceu, e o operador de transmissão Miguel Brendo Pontes Simões, que se encontra em estado grave no HR.

Os ocupantes da aeronave eram funcionários da empresa Heliase, que trabalha com a emissora há mais de 10 anos. Testemunhas que ajudaram no resgate das vítimas afirmaram que havia uma quarta pessoa no helicóptero, por isso as buscas continuam no local.

A informação sobre a existência de um quarto tripulante, no entanto, não foi confirmada pelas autoridades policiais ou pela Rede Globo. O acidente ocorreu por volta de 6h15, momento em que chovia muito na região.

Segundo o relato de moradores do local aos policiais militares e bombeiros que atuam na operação, o helicóptero rodopiou, bateu no mar e submergiu. As vítimas fatais foram identificadas como Daniel Galvão, piloto da aeronave,  e a sargento Lia, supervisora da empresa Heliase.

A mulher chegou a ser retirada com vida do mar pela população, mas não resistiu e faleceu durante as manobras de ressuscitação feitas pelos bombeiros. O operador de câmera Miguel Breno está internado, em estado gravíssimo, e passa por cirurgia.

O helicóptero tinha acabado de fazer imagens sobre a cidade. A aeronave pertence à empresa Helisae Helicópteros do Nordeste, que presta serviços para a Rede Globo há mais de 10 anos. 

Segundo a emissora, a aeronave passou por revisão na semana passada e desde então já havia feito vários voos. O clima no local é de muito nervosismo. Moradores e comerciantes ficaram assustados com o barulho provocado pelo acidente e com a descoberta de que havia vítimas dentro do mar.

"Era pouco mais de 6h15 e ouvimos um barulho muito forte. Uma explosão e um clarão e logo em seguida a pancada. Duas pessoas que estavam no calçadão começaram a gritar dizendo que um helicóptero tinha caído", relatou o comerciante José Flávio, um dos moradores-socorristas. Quando a fumaça diminuiu, ele diz que foi foi possível enxergar melhor. "Ficamos desesperados porque a gente só pensava que tinha que entrar lá para pegar essas pessoas. Conseguimos trazer três, mas disseram que ainda tinha outra. Estamos muito tristes porque gostaríamos que todo mundo estivesse vivo”. 

Em seu site, a Helisae informa que trabalha na captação de imagens aéreas, aerofotografia, aerofilmagem e aeroinspeção desde junho de 2005. Diz, ainda, que atende grupos empresariais do ramo de petróleo, gás, energia, construção e órgãos do governo. 

LINK CURTO: http://folha.fr/1.385383

Curta nossa fanpage e receba notícias pelo Facebook