Foram vistoriados nove estabelecimentos onde o molho seria comercializado

Vigilância recolhe marca de shoyo de supermercados em Araçatuba

Produto era produzido em condições precárias

A Vigilância Sanitária de Araçatuba recolheu, no sábado (27) e na segunda-feira (29), 1.254 unidades de shoyo (molho de soja), produzido em condições precárias por fábrica interditada pelo órgão na tarde de sexta-feira (26). A irregularidade foi descoberta por uma equipe do GOE (Grupo de Operações Especiais) da Polícia Civil.

Foram vistoriados nove estabelecimentos onde o produto seria comercializado. Em seis deles houve recolhimento. Além do shoyo, foram retirados de comercialização outros tipos de molho produzidos pela unidade.

BARRACÃO
Investigadores chegaram ao estabelecimento durante abordagem a uma pessoa suspeita, que foi vista pela equipe abrindo o portão do barracão, no bairro São João. Questionado, o rapaz disse que trabalhava no prédio, onde funcionava a fábrica. Ao entrarem no imóvel, os policiais encontraram diversos tonéis, matéria-prima e grande quantidade de shoyo, parte dele já pronto para ser comercializado, em condições precárias. 

Os investigadores comunicaram a Vigilância Sanitária, que visitou o prédio. Em seguida, os técnicos foram até uma loja que fica na mesma rua, onde a empresa comercializa temperos - produção própria e outras marcas. 

DEMOLIÇÃO
Um dos proprietários estava no barracão e acompanhou o trabalho de perícia. Em sua defesa, disse que a pessoa abordada pelos policiais teria sido contratada para demolir o prédio, que está sendo desativado. Ele e o outro sócio-proprietário foram presos em flagrante por infração do artigo 272 do Código Penal, que dispõe sobre adulterar produtos alimentícios, tornando-os nocivos à saúde.

A Vigilância Sanitária lavrou um auto de infração em desfavor da empresa, que terá dez dias para apresentar defesa.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.386579