Um gargalo a ser evitado

Problemas na emissão de tíquetes de ônibus são complicados

No momento em que a Prefeitura de Araçatuba consegue aval para dar sequência à licitação do transporte coletivo, um problema no sistema de passes de cartões magnéticos, ocorrido no final da semana passada, causou vários transtornos aos usuários. O sistema de computador que valida os cartões ficou fora do ar e, por isso, vários veículos acabaram recolhidos e atrasos foram registrados. Na segunda-feira, o problema foi normalizado, conforme noticiou a Folha um dia depois.

Araçatuba vive, em sua esfera administrativa, um intenso debate acerca do transporte público há pelo menos quatro anos. Comissões de vereadores apontaram deficiências nos ônibus mantidos pela TUA (Transportes Urbanos Araçatuba) e a possibilidade de se baratear as tarifas. Tudo isso, em meio a protestos ocorridos em 2013 no Brasil que tiveram como estopim justamente as condições do transporte oferecido à população nas capitais.

O preço não caiu, mas, paralelamente às sugestões de redução dos valores, foram apontados caminhos a fim de garantir mais conforto, como a implantação de ar-condicionado, sistema wi-fi e até mesmo monitoramento eletrônico. Ou seja, as propostas giram muito em torno de melhoras no campo da tecnologia, mas algo de moderno já existente para facilitar o embarque de quem depende dos ônibus demonstrou estar suscetível a falhas. Isso é um problema por uma série de fatores. Não há outra concessionária para oferecer mais opções de linhas a diferentes bairros. As outras opções de transporte — carro e mototáxi — têm custo considerado abusivo por muita gente.

Sem falar no fato de a simples perda do ônibus poder colocar os compromissos das pessoas em xeque. Portanto, a população quer, sim, conforto e comodidade nos ônibus, mas espera, acima de tudo. transporte com eficiência. No campo das sugestões, há quem defenda até mesmo a formação de comissão formada por membros do Executivo, Legislativo e da sociedade para colher reclamações e fiscalizar o transporte coletivo. A criação de um canal com a empresa concessionária é fundamental para que melhoras ocorram na prestação do serviço.

A mobilidade urbana é, nos dias atuais, item considerado fundamental para o desenvolvimento das cidades. Este conceito passa, necessariamente, pelo oferecimento de transporte coletivo de qualidade, capaz de evitar grandes congestionamentos no trânsito. Essa conscientização e a capacidade de solucionar com agilidade gargalos como o ocorrido na semana que passou são esperadas da próxima empresa que vier a operar o transporte coletivo nos próximo anos, seja a TUA ou não.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.373994