Meneghini na sala de uso comum, que comporta 16 profissionais de forma simultânea

Trabalhar em espaços compartilhados gera economia de até 90%

Difundido nos grandes centros, o conceito de coworking já é praticado em Araçatuba

Uma alternativa para fugir da informalidade do negócio praticado na própria casa ou dos altos custos para manter um espaço próprio, o coworking é um modelo de trabalho baseado no compartilhamento de um ambiente e recursos por profissionais liberais de diferentes segmentos, autônomos e representantes de empresas. 

O conceito - mais difundido nos grandes centros , já é também uma possibilidade em Araçatuba. Além de uma redução dos custos fixos, que chegam a cair 90% na comparação com quem aluga um imóvel para a prática da atividade, o coworker tem a vantagem de interagir com parceiros em potencial. 

A Orbyy Corworking, situada no bairro Vila Mendonça, é uma opção para quem atua em Araçatuba permanente ou temporariamente. Desde julho do ano passado, a empresa oferece espaço especializado nesse modelo de trabalho. 

TENDÊNCIA
Segundo o proprietário, Michael Meneghini, a aposta no ramo se deu por uma necessidade de mercado, já que o compartilhamento de ambientes ainda não se popularizou em Araçatuba como em capitais ou outros municípios paulistas, entre eles São José do Rio Preto e Presidente Prudente. 

A sala de uso comum da empresa comporta 16 profissionais de forma simultânea a um custo de R$ 11 por hora. No local, os usuários encontram recursos como assentos, mesa, energia elétrica, café, água e internet. 

Meneghini explica que o coworking traz resultados imediatos, como a economia na comparação com o empreendedorismo tradicional, e futuros, com destaque para a construção de uma rede de contato. “A maioria das pessoas vêm somente pelos benefícios de curto prazo, que é a diminuição das despesas fixas. Mas o maior objetivo que a gente está buscando é o networking”, afirma. 

Atuante há quatro anos, a empresa AFX Escritórios Inteligentes, sediada no bairro Saudade, em Araçatuba, oferece o acesso a um ambiente de coworking com internet, café e ar-condicionado para quem assina o pacote de escritório virtual por R$ 400, que abrange também atendimento telefônico personalizado, serviço de secretariado e endereço comercial para receber correspondências. 

CREDIBILIDADE
O proprietário do negócio, Fernando César Gilberti que o escritório virtual oferece uma credibilidade maior ao usuário do que utilizar a própria casa para receber telefonemas. Outro ganho é não ter de alugar um imóvel ou arcar com outras despesas mensais. 

Giulio Belazi, representante comercial de uma empresa de telefonia, conta que, depois que trocou o aluguel de um imóvel pela assinatura de escritório virtual e coworking, suas despesas mensais caíram para 10% do que investia anteriormente. “O custo fixo era muito alto. Chegava a R$ 4 mil, com internet, limpeza, secretária, aluguel”, afirma. Atualmente, ele paga R$ 400 por mês para utilizar a área comum e ter acesso a um escritório virtual. 

Leia esta notícia na íntegra em nossa edição digital para assinantes
LINK CURTO: http://folha.fr/1.385121