Tão cedo, a redução

A maior parte dos diferentes segmentos da sociedade se sente representada com mais vereadores?

Antes tão defendida pelos vereadores de Araçatuba, a ponto de unir integrantes da oposição e da situação, o maior número de representantes na Câmara Municipal já encontra os primeiros focos de resistência dentro do próprio âmbito parlamentar. A atual legislatura não chegou nem à sua metade e um projeto, de autoria de três vereadores, acaba de ser apresentado a fim de diminuir a quantidade de cadeiras na Casa - desde o ano passado, são 15, enquanto, até o mandato anterior, eram 12. 

O texto é de autoria de Arlindo Araújo (PPS), Cido Saraiva (PMDB) e Cláudio Henrique da Silva (PMN). Deles, apenas o representante do PPS havia votado contra o inchaço durante votação ocorrida em 2014. Na época, Cláudio ocupava cargo de secretário municipal no governo do então prefeito Cido Sério (PT), enquanto o peemedebista acompanhou a maioria dos legisladores, com voto a favor do aumento.

Se, por um lado, chama atenção a proposta de reviravolta ser apresentada em tão pouco tempo, por outro, impressiona o fato de o texto ter sido protocolado por três parlamentares. 

Desde quando a discussão sobre aumentar ou diminuir o número de vereadores em Araçatuba veio à tona, em 2011, nunca houve tantos vereadores favoráveis à diminuição. Óbvio que esse total é insuficiente para a aprovação do texto. Porém, sinaliza, pelo menos, uma conscientização quanto ao gasto de dinheiro público. Afinal, um dos argumentos dos defensores da proposta é a necessidade da economia devido à crise. 

Hoje, o salário bruto de cada vereador está em aproximadamente R$ 6,5 mil. E, com mais parlamentares, vem toda uma despesa que poderia ser economizada, mesmo sem aumento no repasse do duodécimo - a fatia do orçamento municipal destinada ao Legislativo. Trata-se do gasto com assessores, estrutura de gabinete, energia, viagens, entre outras questões.

Verdade seja dita, o resultado da eleição de 2016, frustrou as expectativas de quem esperava renovação de fato. Nove vereadores foram reeleitos. Um - no caso, Antônio Edwaldo Dunga Costa (DEM) - retornou à Câmara após duas legislaturas, enquanto apenas cinco debutaram no parlamento.

Mesmo assim, uma questão não pode deixar de ser feita: ter aumentado o número de vereadores colaborou, ou não, com a melhora na qualidade dos trabalhos parlamentares? A maior parte dos diferentes segmentos da sociedade araçatubense se sente representada? Os nobres edis demonstram estar preocupados com o bem-estar das pessoas num momento como o atual, de dificuldade econômica? Com a palavra, a população.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.394270