Arma apreendida pela polícia; um dos integrantes reagiu e atirou contra policiais

Suspeitos de assalto à Protege são presos após troca de tiros com a polícia

Quadrilha é formada por três homens e duas mulheres

Cinco pessoas foram presas, na manhã de sábado (23), após troca de tiros com a polícia paraguaia na fronteira entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã (MS). Eles são suspeitos de participação no assalto à sede da empresa de transporte de valores Protege, em Araçatuba, ocorrido em 16 de outubro. A informação foi passada pela polícia ao site Campo Grande News e não traz mais detalhes sobre a suspeita. 

Na ação em Araçatuba, o policial civil do GOE (Grupo de Operações Especiais), André Luís Ferro, de 37 anos, foi morto e foram roubados mais de R$ 7,95 milhões em dinheiro e outros R$ 162 mil em cheques. 

De acordo com o que a reportagem apurou, no caso de sábado, os criminosos – três homens e duas mulheres – foram presos por policiais da Seção de Investigação de Delitos da Polícia Nacional do Paraguai e seriam integrantes de uma quadrilha que age nos presídios paulistas. Eles estavam em um veículo Gol, quando os policiais o abordaram. 

REVIDOU
Um dos integrantes reagiu e atirou contra a equipe, que revidou e passou a acompanhá-los. O grupo foi detido e, dentro do automóvel, foi encontrada uma pistola 9 milímetros, munições, porções de maconha e seis celulares.

Os criminosos, segundo a polícia, são acusadas de praticarem vários assaltos pelo Brasil, incluindo transportadoras de valores. Eles foram encaminhados para a base de operações da Seção de Investigação de Delitos da Polícia Nacional do Paraguai e, após serem ouvidos, encaminhados ao Ministério Público, que decretou a prisão dos envolvidos.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.381203