Trama de '13 Reasons Why' relata as consequências da morte de uma adolescente

Seriado provoca nova discussão sobre bullying e suicídio

Especialistas em psicologia e psiquiatria são contra a produção

Quem acessou as redes sociais nas últimas três semanas se deparou com uma proliferação de publicações sobre o seriado “13 Reasons Why”. A adaptação do best-seller “Os 13 Porquês”, de Jay Asher, conquistou fãs ao gerar discussões sobre problemas que afetam adolescentes pelo mundo, como o bullying e a depressão.

A temporada tem 91% de aprovação da crítica, conforme o site especializado em resenhas de cinema e TV, Rotten Tomatoes. Segundo estudo da Fizziology, empresa voltada para pesquisas sobre mídias sociais, a série lançada pela Netflix em 31 de março foi o programa com maior engajamento do serviço de exibição de vídeos, alcançando mais de 3,5 milhões de impressões nas redes sociais só na primeira semana.

REAÇÕES
Apesar do sucesso, o seriado produziu reações polarizadoras. Especialistas em psicologia e psiquiatria se manifestaram contra a produção, alertando sobre uma possível influência negativa em jovens que pode ser provocada pelo retrato explícito que a série faz sobre o suicídio. 

A trama de “13 Reasons Why” relata as consequências da morte de Hannah Baker (interpretada por Katherine Langford), adolescente de 17 anos que tira a própria vida após sofrer uma série de perseguições, rejeições e abusos por parte de alunos da mesma escola. Antes de morrer, a jovem grava 13 fitas cassetes nas quais se dirige a colegas para contar como cada um deles contribuiu com um porquê de seu suicídio.