Sem razões para demora nas agências bancárias

É inadmissível o cliente chegar e encontrar apenas um ou dois caixas em funcionamento

Foi bastante oportuna e inteligente a operação desencadeada pela Prefeitura de Araçatuba a fim de fiscalizar se as agências bancárias do Centro cumprem limite de 15 minutos de espera para atendimento aos clientes, previsto em lei. O resultado da fiscalização mostra o quanto esse mecanismo ainda precisa ser aperfeiçoado na prática. De cinco estabelecimentos visitados, três foram autuados: Caixa Econômica Federal, Santander e Bradesco. As outras unidades monitoradas, do Itaú e do Banco do Brasil, pelo menos no momento da visita, cumpriam o tempo estipulado.

A gestão do prefeito Dilador Borges (PSDB) informou que a Secretaria Municipal da Fazenda resolveu iniciar a averiguação após receber queixas de usuários e correntistas.
 
Sempre quando há reclamações quanto a atendimento bancário, vem à tona a lucratividade do sistema bancário, o que, em tese, serviria para justificar as condições de oferecer um serviço cada vez melhor. De acordo com a provedora de informações financeiras Economatica, dentre as 20 empresas mais lucrativas do segundo trimestre deste ano, seis eram bancos. Juntas, somente três instituições obtiveram ganhos superiores a R$ 12 bilhões no período.

A demora no atendimento pode trazer uma série de consequências negativas para o consumidor. Especialmente para quem frequenta as unidades do Centro, onde há maior concentração, o horário do almoço é o único momento disponível para ir ao banco. Ou seja, o atraso no atendimento pode, por exemplo, levar a pessoa a demorar a retornar ao seu trabalho. Ou ainda: a perda ou o adiamento de um compromisso previsto para depois da ida ao banco.

As instituições financeiras podem argumentar enfrentar dificuldades para dar conta da demanda de atendimento no prazo determinado, mas é inadmissível, muitas vezes, em horário de pico, o cliente chegar e encontrar apenas um ou dois caixas em funcionamento. 

É certo que não se pode deixar de destacar ações colocadas em prática pelas instituições com o objetivo de evitar filas longas, como a disponibilização de funcionários para orientar usuários a utilizarem os caixas eletrônicos. E mais: apesar da comodidade dos serviços de internet banking, não são todos que se sentem seguros para fazer suas operações por meio dessa via. Há também a questão do preço de alguns serviços, como por exemplo, Docs e Teds, que chegam a custar em torno de dez reais pelo internet banking. 

O aprimoramento na forma de atendimento, no atual contexto, é essencial até por causa do momento vivido pelo Brasil. Cada vez mais, a população tem procurado os bancos para renegociações e empréstimos, além, é claro, dos serviços mais frequentes, como pagamento de contas. Sendo assim, com a tendência de elevação na procura, faz-se necessário agilidade no atendimento e a urgente adequação à lei.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.367508