Transportadora iniciou na noite de segunda-feira (16) a remoção do entulho de sua sede

Protege afirma que vai manter serviço em Araçatuba

Pelo menos 4 pessoas querem indenização por danos

A transportadora de valores Protege iniciou na noite de segunda-feira (16) a remoção do entulho provocado pelas explosões ocorridas horas antes durante assalto e recolheu malotes de dinheiro que permaneciam no prédio. O trabalho teve sequência na terça-feira (17).

 ASSISTA AO VÍDEO: 

A transportadora de valores Protege iniciou na noite de segunda-feira (16/10/2017) a remoção do entulho provocado pelas explosões ocorridas horas antes durante assalto e recolheu malotes de dinheiro que permaneciam no prédio. A empresa afirmou que pretende continuar em Araçatuba. Leia mais em http://folha.fr/1.368368.

Publicado por Folha da Regiao em Quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A reportagem encaminhou e-mail à assessoria de imprensa perguntando se a empresa permanecerá na cidade ou transferirá o serviço para outro município devido aos danos na sede e a resposta foi de que a Protege mantém a execução dos serviços na região.

Segundo a Prefeitura, existem informações extraoficiais de que a empresa tem projeto de construir uma nova sede em outra localidade de Araçatuba, o que não foi confirmado pela assessoria de imprensa. Diante dessa possibilidade, nos próximos dias a administração municipal pretende procurar a gerência da Protege para conversar sobre o assunto.

INDENIZAÇÃO
Desde segunda-feira, pelo menos quatro pessoas procuraram o plantão policial para registrar boletim de ocorrência relatando terem sido vítimas de danos provocados pelo assalto. A Folha da Região encaminhou e-mail à assessoria de imprensa da Protege, questionando sobre possíveis indenizações essas famílias, mas a empresa não se manifestou sobre o assunto.

Um aposentado de 63 anos informou possuir duas residências no local e, segundo ele, as explosões causaram diversas avarias nos dois imóveis, impedindo o fechamento de portas e janelas. As duas moradias precisarão ter o telhado trocado. 

Já uma mulher de 47 anos informou à polícia que além dos danos na residência e em móveis causados pelas explosões, a casa foi atingida por disparos de arma de fogo. Um Fiat Uno Mille, pertencente a ela, também foi danificado.

Outro boletim de ocorrência foi registrado por um homem de 67 anos, que teve danos na residência, e por uma mulher de 50 anos, relatando danos no imóvel e em um Ford Del Rey que estava na casa. 

MAIOR DANO
O dano maior ocorreu na residência vizinha ao local onde os bandidos colocaram os explosivos. A cobertura da garagem foi destruída e uma parede lateral derrubada. Os dois carros que estavam na garagem foram danificados, assim como a caminhonete que estava na rua, em frente ao local das explosões.

A Prefeitura reafirmou na terça-feira que, apesar dos estragos, nenhuma residência vizinha à Protege foi condenada e o imóvel ao lado não terá que ser demolido. A Secretaria Municipal de Planejamento afirma que será preciso apenas fazer uma escora e trocar o telhado dessa casa. Em entrevista à imprensa, o dono do imóvel informou que passou a noite em um hotel pago pela Protege.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.368368