Muitas pessoas que compareceram na última sessão da Câmara eram cargos comissionados

População? Não! Tropa de choque de Dilador e adversários é que lotaram a Câmara

Resultado: vereadores não conseguiram votar aumento de IPTU

O atual governo de Dilador Borges (PSDB) se utilizou de expediente parecido ao adotado pela administração do ex-prefeito Cido Sério (PT), um dos seus principais adversários políticos, durante votações polêmicas de projetos na Câmara de Araçatuba. 
 
A sessão da última segunda-feira (6), quando ia ser votado o projeto que pretende aumentar o IPTU (Imposto Predial Territorial Urbano) nos próximos dois anos, foi tomada por servidores comissionados da administração municipal tucana. Na linha de frente, estavam todos os secretários municipais, assim como ocorria na gestão petista. 
 
NÃO FOI BEM ASSIM
Enganam-se quem pensa que a Câmara lotada na sessão de segunda-feira foi um exemplo de participação popular. Além dos já citados integrantes do governo, as galerias ficaram cheias de adversários políticos do atual prefeito, integrantes de partidos políticos e de movimentos. Porém, a população se manifestou em peso nas redes sociais contra a propositura. 
 
UNIÃO IMPROVÁVEL
Aliás, uma curiosidade: o projeto de aumento do IPTU conseguiu fazer uma coisa improvável. Ele reuniu em torno de uma mesma causa o Partido dos Trabalhadores e o MBL (Movimento Brasil Livre) em Araçatuba. Este último foi um dos responsáveis pelas manifestações pedindo o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e chegou a apoiar a candidatura de Dilador no ano passado no município. 
 
O PT é contrário ao aumento mais por questões de rivalidade política com o governo do PSDB. Já o MBL, seguindo uma ideologia liberal, se opõe ao aumento de impostos. Portanto, uma causa em comum, mas com objetivos distintos. (Ronaldo Ruiz Galdino)

ACESSE AQUI A COLUNA
'PERISCÓPIO'

LINK CURTO: http://folha.fr/1.372232