Suspensão das importações 'in natura' foi um duro golpe para as vendas ao exterior

Pecuária em crise: Resposta é prevista ao longo dos próximos dois anos

Reação vai depender também de mudanças na economia

O zootecnista e consultor de mercado da Scot Consultoria, Gustavo Aguiar, esclarece que a recuperação total do cenário depende da diluição das incertezas em relação à JBS e da melhora geral da economia nacional. 

Ele acredita que uma resposta visível do mercado da carne deverá ser observada ao longo dos próximos dois anos. 

De acordo com informações do jornal “O Estado de S.Paulo”, a empresa teria dívidas que somam R$ 18 bilhões e vencem neste ano. “O mercado precisa entender que a JBS tem condições de arcar com a dívida e o produtor precisa ter a tranquilidade de que venderá o gado para eles e receberá. Essa ainda é uma grande dúvida do mercado.” 

Procurada pela reportagem, na última após a circulação de rumores na região sobre demissões e redução no volume de abates em frigorífico de Andradina, a JBS afirma que não houve cortes no quadro de colaboradores das unidades do estado de São Paulo e que a rotatividade de pessoas permanece em linha com o volume habitual. “A companhia informa ainda que as suas operações continuam em ritmo normal, dentro do plano de negócios.”

EXPORTAÇÕES
De acordo com o consultor, apenas 20% da produção de carne bovina é exportada, razão pela qual o mercado interno é tão importante. As vendas externas também foram afetadas pela Operação Carne Fraca. Segundo o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, o Brasil recebeu R$ 5% a menos com as remessas de carne bovina congelada, fresca ou refrigerada para outros países no acumulado de janeiro a maio na comparação com as exportações do mesmo período de 2016. 

Outro golpe para as vendas para o exterior foi a suspensão das importações de carne “in natura” do Brasil pelo governo dos Estados Unidos, anunciada no último dia 22, por preocupações provocadas pela reação à vacina da febre aftosa no produto encaminhado para o país. 

A vacinação pode causar manchas internas na carne. Conforme, Aguiar o volume vendido para os Estados Unidos não é grande, porém o problema pode afetar a credibilidade da mercadoria nacional. “Mas é uma situação temporária. Tanto o Ministério da Agricultura quanto as indústrias estão começando a se adequar e dar as respostas necessárias para que a gente possa reatar essa relação comercial com eles.”


VEJA AQUI OUTRAS REPORTAGENS ESPECIAIS SOBRE
'A PECUÁRIA EM CRISE'



LINK CURTO: http://tinyurl.com/sxbbua6