Éderson (esq.) é irmão do advogado Evandro (dir.), que criticou Nava em sua página no Facebook

Parentes de Nava: Cido Sério também teve desgaste com irmãos

No momento em que se volta a discutir a nomeação de parentes para cargos públicos comissionados, as administrações de Cido Sério (PT), o prefeito anterior, e a de Dilador Borges (PSDB), a atual, estão equiparadas. A gestão petista também sofreu questionamentos nesse sentido.

Assim como ocorre com Dilador, Cido sofreu desgaste em 2009, ainda em seu primeiro mandato, quando nomeou Éderson da Silva diretor de Planejamento e Obras no Daea (Departamento de Água e Esgoto de Araçatuba). Na época, houve questionamentos de lideranças do próprio PT local.

 Leia também:
- Parentes de Nava: um desgaste que poderia ter sido evitado 
- Parentes de Nava: Dilador fala em demissão, se houver irregularidade 
- Parentes de Nava: líder do PTdoB recua da ideia de denúncia ao MP 
- Adversário ameaça denunciar nomeações de parentes de Nava 
- Dilador nomeia parentes de Nava como comissionados 


Éderson é irmão do advogado Evandro da Silva, então secretário de Assuntos Jurídicos, mesmo posto ocupado hoje pelo ex-vereador Ermenegildo Nava, pivô da atual polêmica. Mais tarde, Éderson foi nomeado secretário municipal de Planejamento.

No final da semana passada, Evandro fez, em sua página no Facebook, diversas críticas a Nava por causa das nomeações de parentes do titular do jurídico da Prefeitura para cargos de confiança.

HÁ ONZE ANOS

Em 30 de março de 2006, Nava disse, em entrevista à Folha da Região, que o nepotismo era “uma luta de todos”. Naquele ano, o secretário, que ainda não exercia cargo político, ajuizou uma ação civil pública, pedindo o fim do nepotismo no governo do então prefeito Jorge Maluly Netto.

VAI EXONERAR?
Na segunda-feira (9), a conversa que tomou conta dos bastidores políticos de Araçatuba teve relação com a exoneração ou não das servidoras comissionadas da família de Nava. Uma pessoa próxima a Dilador disse que o tucano poderia demitir, pelo menos, a nora do secretário, Marise Storti Rodrigues Nava, por não ser servidora efetiva.

No entanto, outro aliado disse que o prefeito não vai tomar nenhuma decisão antes de consultar pareceres de outros juristas, autoridades e instâncias. O objetivo do chefe do Executivo é tomar uma medida com segurança. Segundo fontes, Dilador não quer desrespeitar a lei nem ser injusto com ninguém. (Ronaldo Ruiz Galdino)