O Uber e a diversidade

É desejável que municípios em expansão diversifiquem suas opções de transporte

Vem em boa hora a notícia de que o Uber, aplicativo de celular que conecta motoristas a passageiros, iniciou o cadastro de pessoas interessadas em prestar o serviço em Araçatuba. Primeiro porque, além de ser moderno e prático, tende a pesar menos no bolso do consumidor. 

Já há algum tempo, é motivo de constante reclamação dos moradores o preço praticado pelos condutores de taxi. Essa realidade ficou bem clara, de acordo com comentários publicados no site da Folha da Região em matéria que falava do cadastramento para Uber. Um dos leitores chegou a falar que desembolsou R$ 60 em corrida da rodoviária até a Unesp (Universidade Estadual Paulista). Ou seja, mais caro do que muita viagem.

Da mesma forma, também têm sido motivo de queixas os valores cobrados por mototaxistas. Outro ponto importante gerado pela vinda do Uber reside no fato de que é sempre desejável que municípios em expansão diversifiquem suas opções de meios de transporte para a população. 

Ultimamente, Araçatuba vem recebendo novos centros empresariais e cursos superiores, apenas algumas das situações que fazem aumentar a demanda por transportes variados, de melhor qualidade e com valores mais acessíveis.
É o tipo de cenário que se contrapõe à opinião do presidente do Sindicato dos Taxistas Autônomos de Araçatuba e Região, Milton de Matos, para quem “não há demanda suficiente na cidade para o aplicativo”.

Hoje, o Uber está presente em capitais, como São Paulo e Rio de Janeiro, e municípios de médio porte, caso de São José do Rio Preto. O serviço, portanto, poderia existir em Araçatuba sem gerar concorrência para os taxistas caso estes respeitassem acordos firmados para a utilização do taxímetro, o que garantiria um preço mais justo. 

Foi no ano passado que a Prefeitura se comprometeu a fazer a fiscalização do uso do aparelho após pressão do Ministério Público, que, por sua vez, havia arquivado inquérito voltado a investigar práticas abusivas.

Dessa forma, a chegada do Uber pode obrigar taxistas que ignoram o taxímetro a respeitarem a exigência do MP. Toda esta situação faz crer que o projeto de lei a ser apresentado na Câmara, a fim de habilitar a modalidade, passe sem grandes dificuldades. 

A proposta, conforme noticiou ontem este jornal, deverá ser apresentada pelo líder do prefeito Dilador Borges (PSDB) no Legislativo, Alceu Batista de Almeida Júnior (PV), que afirma ter mantido contato com os taxistas. Portanto, ao que tudo indica, em breve, o Uber já estará na cidade.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.388881