POR RONALDO RUIZ GALDINO

Durante muito tempo, quando se falava na participação jovem na política, logo, o pensamento tinha ligação com garotos idealistas, dispostos a mudar o mundo de qualquer forma. Eram, em sua maioria, moças e rapazes identificados com ideais de esquerda.

Pelo menos desde 2013, o Brasil vem testemunhando a volta do povo às ruas e um maior engajamento da população mais nova na política, principalmente por meio das redes sociais.

Essas manifestações, no entanto, deram um fortalecimento a grupos de direita, considerados mais conservadores, especialmente após a decepção com a Era-PT. Na região, esses movimentos também ganharam força e encontram jovens que defendem militarismo, liberalismo econômico, entre outras correntes ligadas à direita, que não pensam exatamente da mesma forma.

A Folha da Região entrevistou pessoas que se identificam com ideias consideradas de direita. Entre as bandeiras defendidas por elas estão a redução do tamanho do Estado, garantias ao indivíduo e de propriedade privada e defesa de valores cristãos. Todos os ouvidos pela reportagem, porém, não concordam com uma intervenção militar.

A nova direita em Araçatuba: Liberalismo começa a ganhar força

'Direita, no Brasil, é intervencionista e não liberal', diz empresário

Nova direita em Araçatuba: Decepção fortaleceu conservadorismo

Declaração é de historiador e doutor em geografia

A nova direita em Araçatuba: Radialista defende moral e família

'Redução do Estado tem que começar pelo número de deputados'

Para esquerdistas, crescimento da direita não atingiu Lula

Araçatubenses destacam liderança do petista em pesquisas


Reportagens especiais da Folha




Colunas e coberturas especiais




Siga a Folha da Região