Nova rodoviária de Araçatuba: chegou a hora de sair da promessa

Por décadas, quem chegava a Araçatuba, vindo de ônibus, logo se deparava, na avenida Brasília, com o antigo Hospital Modelo, demolido há quase quatro anos. A construção que, durante muito tempo, enfeava a principal porta de entrada da cidade foi ao chão.

Mas, nos dias atuais, as más impressões de quem desembarca no terminal rodoviário, localizado próximo à área que um dia se destinou ao HM, continuam. Há problemas estruturais, desconforto, sinais de abandono e o descuido nos banheiros, lamentavelmente, ainda é uma realidade.

Na última segunda-feira (13), o prefeito Dilador Borges (PSDB) reacendeu a discussão sobre a necessidade de acabar com essa situação. Ele visitou a rodoviária a fim de verificar o problema in loco. Entre um gesto e outro, tomando refrigerante em um dos bares ali existente e conversando com taxistas, o tucano reafirmou sua promessa de campanha: mudar a estação de endereço. Não disse o que tem planejado de concreto nem falou de prazos para o cumprimento da promessa. Mas o gesto manifestado pelo atual chefe do Executivo traz uma expectativa.

 Leia também:
Dilador deixa gabinete e faz vistoria na rodoviária de Araçatuba 


Antes de Dilador, dar uma nova rodoviária para Araçatuba também esteve nos discursos de quem esteve à frente do Paço Municipal. Em geral, a ideia de mudança sempre esteve aliada a um incômodo fato de a sede da Prefeitura ficar junto ao terminal. Antecessor de Dilador, Cido Sério (PT), havia dito, em entrevista à Folha da Região, durante a campanha pela reeleição, em 2012: “Faremos novo Paço Municipal e Terminal Rodoviário”. Não fez.

Jorge Maluly Netto, já falecido, que antecedeu o petista, chegou a falar em uma PPP (Parceria Público-Privada) para a mudança administrativa antes de ser cassado. A proposta não avançou. Outro ex-prefeito, Valter Tinti (PMDB), que governou o município entre 1986 e 1988, disse, em 2007, também a este jornal, que se tivesse tempo e dinheiro, construiria um amplo centro administrativo, que reunisse todas as secretarias municipais.

Como se percebe, construir uma nova rodoviária e fazer um Paço Municipal mais moderno nunca esteve fora dos planos dos governantes locais. Apesar da crise, o momento é oportuno para se pensar em alternativas capazes de levar esse plano diante. É a hora de Dilador pôr em prática sua experiência empresarial e buscar parcerias.

Além de melhorar a cara do município, uma rodoviária mais moderna seria importante para fortalecer a logística e criar um novo fator capaz de gerar investimentos. Quanto ao Paço Municipal, a nova sede seria, sim, importante, principalmente se vier acompanhada de avanços na prestação de serviços à população.
LINK CURTO: http://tinyurl.com/megz324