POR MÁRCIO BRACIOLI

O programa federal “Minha Casa Minha Vida” surgiu em 2009. A ideia do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), na época, era fornecer moradia para a população de baixa renda a um preço baixo. Aos poucos, tornou-se o maior programa habitacional da história brasileira.

Em Araçatuba, vários prédios, condomínios e novos bairros surgiram como resultado dessa iniciativa. No entanto, o que era para ser uma medida para ajudar, sobretudo, famílias de baixa renda, acabou sendo distorcido em Araçatuba.

Das 14.372 unidades contratadas pelo programa na cidade de 2009 até hoje, apenas 27% foram para a faixa 1, destinada à renda mais baixa. Os dados integram relatório obtido pela da Folha da Região junto à Secretaria Nacional de Habitação, do Ministério das Cidades, por meio da Lei de Acesso à informação. Os números compreendem tudo o que foi feito em Araçatuba desde a criação do “Minha Casa Minha Vida” até o mês de outubro deste ano.


Minha Casa Minha Vida ajudou mais a classe média de Araçatuba em 8 anos

Programa habitacional teve investimento de R$ 1 bilhão

Minha Casa Minha Vida realizou sonhos, mas também provocou problemas em Araçatuba

De 521 imóveis visitados pela Prefeitura, 364 apresentaram danos

Minha Casa: Empresário diz que governo procurou ajudar construtoras

Programa fez com que 'uma bolha fosse criada no País'


Reportagens especiais



Colunas e coberturas especiais