Uma das imagens que estarão na exposição organizada pelo jornalista e escritor Arnon Gomes

Memórias do carnaval

Exposição em Araçatuba traz imagens e relatos das festas

Nesta quinta-feira, 1º de fevereiro, Araçatuba dará início aos festejos de Momo com a exposição "Carnaval e Sua Gente: Lembranças do Carnaval", com a curadoria do jornalista e escritor Arnon Gomes. A mostra ficará exposta no Museu Araçatubense de Artes Plásticas (MAAP) até o dia 13.

Apaixonado por carnaval, Gomes irá ministrar também a oficina "Brasil Cantado em Samba-Enredo", destinada a professores, alunos e demais interessados, no Museu Ferroviário Moisés Joaquim Rodrigues, de 1 a 3 de fevereiro.

A exposição é um resgate na história do carnaval araçatubense, que foi oficializada no calendário cultural da cidade há 60 anos, com um decreto do ex-prefeito Aureliano Valadão Furquim. Sempre empenhado em resgatar memórias dos carnavais por onde passa, Arnon Gomes reuniu 30 imagens de seu vasto acerto para apresentar ao público.

Em 2008, Gomes lançou o livro "Com véu de alegoria - Cem anos de carnaval em Araçatuba". No livro ele retrata, além das escolas, temáticas dos sambas-enredos, blocos, cordões e conjuntos. Os grandes bailes carnavalescos da alta sociedade também foram abordados, além da primeira escola de samba, "Juca e sua escola de samba", do fim dos anos 1930. Com a exposição, o pesquisador traz ao público um pouco de suas histórias e seus registros colhidos ao longo de mais de 10 anos na cidade.

"Desde que vim para Araçatuba e fazia reportagens para o carnaval, sempre recebi uma grande quantidade de fotos e materiais sobre esse tema. Isso fez com que eu reuni-se material suficiente para montar meu livro e, agora, lançar essa exposição", explica o pesquisador, que também produziu registros pessoais. 

Os interessados em realizar uma visita monitorada podem agendar pelo telefone (18) 3636-1270 ou na sede da Secretaria Municipal de Cultura.

HISTÓRIA
Gomes explica: "Quem for ao museu, vai encontrar personagens históricos, fotos de clubes, escolas de samba. Uma variedade grande de material que retrata essa história do carnaval de Araçatuba". Em um primeiro momento, a mostra reuniria as pesquisas dele em carnavais de várias cidades, mas, após meditar sobre a relevância da festa na cidade, optou por regionalizar.

"Araçatuba sempre foi referência carnavalesca no Interior, ao lado de Catanduva. Mostrar essa força, então, foi o maior objetivo nessa exposição", explica. O objetivo, reforça, é mostrar a relevância da festa na cidade. "As pessoas que faziam o Carnaval lembram com saudosismo os desfiles do passado. As festas reuniam todas as classes sociais. Era algo grande".

Para Gomes, "o carnaval, em sua essência, tem vários significados. É muito mais que um período de sair da rotina. Ele tem uma importância no aspecto cultural. No que diz respeito às escolas de samba, que sempre trataram de assuntos políticos, sociais, através dos seus sambas-enredos". Segundo ele, "o carnaval é a maior representação artística do Brasil".

WORKSHOP
A oficina "Brasil Cantado em Samba Enredo" é voltada para educadores e apaixonados pela arte carnavalesca e nasceu há cinco anos, com oficinas e atividades de aprendizado. "O samba enredo é um gênero musical que não é separado da cultura afro-brasileira. E como existe uma lei federal que obriga a explanação da história da cultura afro, esse projeto vem de encontro para fomentar esse assunto", explica.

Nos dois primeiros dias (1 e 2/2), o workshop será voltado aos profissionais de educação da rede pública estadual e municipal, no dia 3/2, será aberto ao público. Os participantes receberão certificado de participação. A oficina apresentará o carnaval nas fases do Brasil Colônia, Império e República.

Para a secretária de Cultura, Tieza Lemos Marques, a escolha de uma mostra e uma oficina explicando a importância do carnaval vem de encontro com a política de reforçar que a festa não é só dança. "Pensamos em não só fazer uma festa com bailes e blocos, mas pincelar que essa festa tem elementos culturais e históricos que precisam ser explorados pedagogicamente", explica.

Para Tieza, a festa é "típica e exclusiva do brasileiro, só nós temos essa festa. O carnaval esta colado com nossa história". A secretária ainda afirmou que a origem da festa precisa sempre ser reforçada para os jovens e adultos.

LINK CURTO: http://folha.fr/1.386891