Marcelo Torma, publicitário com 20 anos de experiência. Foi professor na Miami Ad School e ganhou prêmios nacionais e internacionais

Marcelo Torma: Cannes Lions 2017 atrai atenção de criadores do mundo todo

Este ano, a publicidade mundial terá seu ponto alto entre os dias 17 e 24 de junho, semana em que se realizará o Cannes Lions 2017. Conhecido como o Festival Internacional de Criatividade, o evento chega em sua 64ª edição relevante como nunca para os criadores de todo o planeta e influente a ponto de ditar os caminhos para as agências até 2018.
 
O mero contato com grandes profissionais e seus trabalhos já é o bastante para inspirar e dar aquele ímpeto para criar algo que possa mudar o mundo da comunicação. Essa, pelo menos, foi a minha relação com o festival desde 2003, quando participei como Young Creative. Nesses 14 anos que se sucederam, não perco uma edição que seja.
 
E não é para menos. Além da experiência subjetiva, o impacto do Lions é sentido no mercado do mundo todo, em todas as frentes: para os criativos, para os clientes e para os meios de comunicação. É um evento que de fato influencia os rumos da comunicação, exibindo novos caminhos e diferentes tendências. A participação do Brasil em Cannes é uma expectativa grande. Como temos um mercado competitivo e criativo, nosso país sempre foi uma grande força criativa no mundo.
 
Recentemente, o filme “Rainbow”, que desenvolvi junto à Havas/BETC para a Jontex, foi votado o melhor do Cannes Preview, que apresenta os destaques da publicidade brasileira em antecipação ao festival. Organizado pelo jornal O Estado de S.Paulo, representante oficial do Lions no Brasil, o evento funciona como uma versão nacional do encontro de profissionais, trabalhos e ideias que se dá em Cannes, exibindo alguns dos potenciais premiados que veremos lá.
 
Claro que as contribuições internacionais não devem ser esquecidas, pois incluem algumas das peças publicitárias mais impactantes desse período de 2016 a 2017. Tratam-se de ações como a “Fearless Girl” da State Street Global Advisors, a estátua da garota que causou um grande furor ao dialogar com a intervenção icônica do “Charging Bull” de Wall Street.
Voltando a tocar no Brasil, o filme “We’re the Superhumans”, da 4creative para a emissora britânica Channel4, foi feito para divulgar as Paralimpíadas que ocorreram no Rio de Janeiro no ano passado, e desponta como mais uma das possibilidades mais certas de premiação em Cannes.
 
São tantas criações enviadas ao festival que, só para citar as melhores, poderíamos gastar parágrafos e mais parágrafos. Independentemente de quais profissionais voltarão do evento com troféus, um fato é indiscutível: todos os criadores do mundo precisam estar atentos ao que acontece no Cannes Lions. Afinal, naquele lugar e naquele momento, serão exibidos os exemplos mais brilhantes e serão traçados os caminhos mais promissores da comunicação para os próximos anos.